Cerimônia da Taba Tamoio: Índios expulsos da Aldeia Maracanã acreditam que não serão incomodados no Quilombo do Sacopã;


Carlos Tukano faz de uma escola sua Taba

Carlos Tukano faz de uma escola sua Taba

Apesar da proibição que pesa contra o Quilombo do Sacopã, em realizar atividades culturais em seu espaço Rua Sacopã nº 250, na Lagoa Rodrigo de Freitas, os índigenas expulsos da Aldeia Maracanã, aceitaram o convite e lá estarão hoje , domingo, 28 de abril, a partir da 11 da manhã, para realizarem a Cerimônia da Taba e depois comerem uma feijoada oferecida pelos Quilombolas.

“Vamos visitar à convite o Quilombo do Sacopã neste domingo 28 de abril, para realizarmos a intronização da Taba Tomoio no Rio de Janeiro.”  Assim me relata por telefone o Cacique Tukano. Carlos Tukano, é uma das grandes lideranças da Aldeia Maracanã que foi expulsa do antigo Museu do Índio de maneira brutal pelo governo do Rio de Janeiro.

E prossegue Carlos Tukano: ” Sempre carregamos nossas Tabas em nossas mentes e corações, pois sempre fomos nômades neste grande território que vocês chamam de Brasil. que consideramos nosso.

Cada chão que pisamos é nossa casa. As fronteiras estão nas cabeças e a cercas no poder dos homens.

Os Pataxós nossos parentes, que também estavam na Aldeia Maracanã, foram os primeiros a conhecerem as cercas feitas pelos portugueses. Desde então vivemos correndo das cercas, e agora do spray de pimenta. Estamos acostumados.

Porisso é com satisfação que aceitamos o convite dos nossos parentes da família Sacopã, para refundarmos lá simbolicamente a Aldeia Tamoio, que já foi tudo que vocês chamam hoje de Rio de Janeiro.

Quem nos convida de coração para ir à sua casa, nós aceitamos com prazer. Sonho com o dia em que esta Taba está nas mentes e corações de todo o povo Brasileiro”, assim termina Carlos Tukano o nosso breve telefonema.

Digo Até logo, mando o blog pro ar e parto com minha companheira, Ortrun Gutke, que acaba de chegar da Alemanha, para atravessar a baía de Guanabara para encontrar nossos parentes quilombolas e indígenas com a “Taba” em nossas cabeças. Veja como chegar no Quilombo do Sacopã link