Na boca do dia da República Prefeitura do Rio congela caderneta de Poupança do Quilombo do Sacopã


Eva Manuela da Cruz

+++Eva Manuela da Cruz

Mãe Original do Quilombo do Sacopã, está muito preocupada com seus descendentes quilombolas aqui nesta terra sem paz:

Depois da grande vitória na Câmara de Veradores em agosto de 2012, quando a maioria dos vereadores derrubarou o VETO do prefeito Eduardo Pais ao projeto-lei dos vereadores Reimont(PT) e Eliomar Coelh(PSOL), que tornou a áre do Quilombo do Sacopã, em ZONA ESPECIAL DE INTERESSE CULTURAL DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO,  a vida das famílias do Quilombo do Sacopã se transformou em um verdadeiro inferno.

Lembrando o malfadado ex-presidente Collor de Mello, CONGELARAM A CADERNETA DE POUPANÇA DO HERDEIRO DIRETO E FILHO DE EVA MANUELA DA CRUZ, A MÃE ORIGINAL DO QUILOMBO DO SACOPÃ E QUE A 40 ANOS INICIOU A CRUZADA DE RESISTÊNCIA PARA QUE SEUS DESCENDENTES TIVESSEM DIREITO À TERRAS DE SEUS ANTEPASSADOS.

Em pleno feriado republicano, sem dinheiro no bolso, família Sacopã se pergunta para quem apelar?

O  CONGELAMENTO DAS MAGRAS POUPANÇAS DE LUIZ SACOPÃ FOI REALIZADO SEM NENHUM AVISO OU NOTIFIÇÃO POSTERIOR  E NAS VÉSPERAS DO FERIADO DO DIA DA REPÚBLICA  NO MÊS DA CONSCIÊNCIA NEGRA  E SÓ NA PRÓXIMA QUARTA-FEIRA O FORUM PARA EMBARGOS E RECURSOS ESTARÁ FUNCIONANDO.

O bloqueio da conta de poupança foi ordenado pela juiza Cristiana Aparecida de Souza Santos da 12 Vara de Fazenda Pública da Comarca da Capital a pedido do Município do Rio de Janeiro.

Fotos e notícia:marcos romao

Quilombo do Sacopã: Patrimônio Imaterial do Rio de Janeiro e da Humanidade


COPIEM E MANDEM EMAILS AINDA HOJE, PARA OS VEREADORES DA CÂMARA DE VEREADORES DO RIO DE JANEIRO POIS ELES VÃO VOTAR O VETO DAQUI A POUCO
adilsonpires@camara.rj.gov.br; cerruti@camara.rj.gov.br; afreitas@camara.rj.gov.br; andrea.vieira@camara.rj.gov.br; argemiropimentel@camara.rj.gov.br; bencardino@camara.rj.gov.br; carlinhosmecanico@camara.rj.gov.br; caiado@carlocaiado.com.br; contato@carlosbolsonaro.com.br; carminhajerominho@camara.rj.gov.br; chiquinho.brazao@camara.rj.gov.br; dr.carloseduardo@camara.rj.gov.br; doutor@eduardomoura.com.br; fernandomoraes@camara.rj.gov.br; vereadorjairinho@terra.com.br; drjoaoricardo@camara.rj.gov.br; doutor@jorgemanaia.com.br; eiderdantas@camara.rj.gov.br; eliomar@camara.rj.gov.br; elton.babu@camara.rj.gov.br; laguarana@uol.com.br; ivanirdemello@camara.rj.gov.br; joaocabral@camara.rj.gov.br; joaomendesdejesus@camara.rj.gov.br; vereadorjorgebraz@camara.rj.gov.br; jorge.felippe@camara.rj.gov.br; jpereira@camara.rj.gov.br; jorge.silva@camara.rj.gov.br; jose.everaldo@camara.rj.gov.br; leonelbrizolaneto@camara.rj.gov.br; lcramos@camara.rj.gov.br; marcelopiui@camara.rj.gov.br; marcia.teixeira@camara.rj.gov.br; nereide.pedregal@camara.rj.gov.br; patricia.amorim@camara.rj.gov.br; messina@camara.rj.gov.br; paulopinheiro@camara.rj.gov.br; prof.uoston@camara.rj.gov.br; renato.moura@camara.rj.gov.br; robertomonteiro@camara.rj.gov.br; rosa.fernandes@camara.rj.gov.br; vereadorrubensandrade@camara.rj.gov.br; sferraz@camara.rj.gov.br; contato@soniarabello.com.br; vereadoratatianabastos@camara.rj.gov.br; teresa.bergher@camara.rj.gov.br; tiocarlos@camara.rj.gov.br; veralins@camara.rj.gov.br
Caros Representantes do Povo da Cidade do Rio de Janeiro,
 

O Cristo visto do Quilombo do Sacopã

Conheço e frequento a comunidade do Quilombo do Sacopã desde o inicio da década do 1980. Essa comunidade é uma forte núcleo cultural nessa cidade que em nome de uma “modernidade” oca e vázia vai progressivamente se destuíndo de tudo que garante sua personalidade única e sua grande riqueza cultural. Essa tendência tem se acelerada infelizmente diante da vocação do Rio de se torna palco de grandes eventos.

Como européia, gostaria de ressaltar que isso vai a contra todas as correntes mais modernas do pensamento cultural pelo mundo afora que estão apostando na diversidade cultural e na preservação e na valorização das culturas tradicionais e as suas manifestações.
Creio que se a cidade do Rio de Janeiro quer realmente se estabelecer como um ícone da cultura moderna, e mais especialmente tendo em visto a sua consagração como Patrimônio Cultural da Humanidade, tem que reconhecer pontos essenciais e absolutamente originais da sua cultura como o Quilombo do Sacopã e o pólo de cultura indígena do antigo Museu do Indio no Maracanã.
Fui tradutora do projeto da candidatura da cidade do Rio de Janeiro a Unesco como patrimônio cultural da humanidade: o texto é inequívoco: a originalidade do Rio de Janeiro é o paisagem natural e o uso que a população tem feito dele: o povo é parte íntegra do patrimônio cultural da cidade.
 
Victoria Birkbeck
W342538E
Cineasta/Coordinadora Internacional do Festival do Rio/Tradutora
A luta por uma ECO AFRICANIDADE na diáspora enfrenta mais um desafio na Câmara Municipal do Rio de Janeiro. É necessário que todos os vereadores da cidade do Rio de Janeiro rejeitem o veto ao Projeto de Lei n.º 1092 que institui a Área de Especial de Interesse Cultural do Quilombo do Sacopã – AEIC Quilombo do Sacopã.
As Áreas de Especial Interesse Cultural representam mais um instrumento que os povos e comunidades tradicionais dispõem para concretizar os direitos que índios, negros e outros grupos oprimidos na trajetória de formação da nação brasileira conquistaram na Constituição de 1988. As Áreas d Especial Interesse Cultural recém aprovadas, colocaram o Rio de Janeiro como a primeira cidade brasileira a dispor de um mecanismo  em seu Plano Diretor que rompeu com a invisibilidade histórica da cultura negra e outras culturas formadoras de nossa cidade e dos espaços onde elas se realizam. As AEIC  permitem reconhecer e titular os territórios quilombolas e outros territórios tradicionais como integrantes da memória e da cultura da cidade.
A titulação do Quilombo Sacopã como Área de Especial Interesse Cultural da Cidade do Rio de Janeiro reconhece a história de luta do Quilombo Sacopã como um lugar onde o samba, a feijoada, a vida em comunidade e em comunhão com  a natureza resistem à especulação imobiliária, à intolerância e à intransigência. A Área de Especial Interesse Cultural do Quilombo Sacopã representa mais um passo na busca da justiça socioambiental e racial no Rio de Janeiro e no Brasil.
Por isso os Povos Tradicionais e diversos setores da sociedade civil da Cidade do Rio de Janeiro, demandam aos Vereadores da Cidade do Rio de Janeiro a Rejeição ao Veto do Prefeito da Cidade ao Projeto de Lei n.º 1092.
 

Afropress informa:Educação étnicorracial será tema na Federal Fluminense


Educação étnicorracial será tema na Federal Fluminense
Por: Redação: Rosiane Rodrigues – Fonte: Afropress –

Rio – Relações étnicorraciais e intolerância religiosa serão os temas debatidos no primeiro evento brasileiro independente no modelo TEDx (Technology, Entertainment and Design), com foco na educação, que acontece nesta sexta-feira (03/08) na Universidade Federal Fluminense (UFF).

O modelo surgiu na Califórnia em 1984, e já teve como palestrantes, entre outros, o fundador da Microsoft, Bill Gates, o ex-vice-presidente americano, Al Gore, a escritora chilena, Isabel Allende, e o ex-premiê britânico Gordon Brown. As palestras com duração de 18 minutos ficam disponíveis gratuitamente no site oficial do evento.

O modelo prevê também eventos independentes no mesmo formato, os TEDx. O da UFF será um desses. O primeiro no Brasil foi o TEDxSãoPaulo, em 2009. Depois dele, quase 100 aconteceram aqui no país.

No Rio, serão 12 palestrantes, entre mestres, cientistas e artistas de diversas áreas de conhecimento. O objetivo das palestras é apresentar experiências inovadoras e propostas críticas e práticas que influenciem o aprendizado e o pensamento educacional. Os palestrantes não são remunerados e toda equipe do evento é de voluntários.

As conferências serão transmitidas ao vivo pelo site www.tedxuff.uff.br , bit.ly/tedxuff ,e www.mamaterra.org   A Afropress e a Mamapress são parceiras do evento.

Julio Tavares

“Educação hoje é o grande desafio do Brasil. E uma vez mais se confirma a total falta de coragem dos governantes e da própria composição política do país. Todo mundo usa educação como retórica. Mas na hora da virada, como Japão, Coreia e África do Sul fizeram, falta coragem”, explica Júlio Cesar de Tavares (foto), fundador do Laboratório de Etnografia e Estudos em Comunicação, Cultura e Cognição (LEECCC) da UFF e organizador do evento.

Tavares acrescenta que o TEDxUFF apenas começa no dia 03. “Todo o evento é preparado para ser transmitido online. É como um programa de televisão com auditório selecionado, que ficará para a posteridade. As conferências serão vistas online e depois de editadas, a partir do dia 20 de agosto, ficarão disponibilizadas no site do TEDxUFFF e no do TED para sempre”.

Quem são os palestrantes

Não é exagero afirmar que o TEDxUFF vai reunir os melhores pensadores da atualidade, principalmente nas questões que envolvem diversidade e acesso à educação. Por exemplo: Muniz Sodré irá abordar a “Educação e novos agentes produtivos”; Petronilha Silva fala sobre “Relações etnicorraciais e educação”; Carlos Eduardo Mathias Motta, explica seu conceito de “Matemática Humanista: uma perspectiva cultural no Ensino para Deficientes Visuais por meio de Ritmos Musicais”, e muito mais.

Você pode conferir todos os temas das conferências no site http://www.tedxuff.uff.br

O que é o TEDx:

O modelo TED (Technology, Entertainment and Design) surgiu na Califórnia em 1984, e o primeiro no Brasil foi o TEDxSãoPaulo, em 2009. Depois dele, quase 100 aconteceram no país.
O TEDxUFF acontecerá no auditório da Ampla com participação presencial de apenas 100 espectadores, atendendo às normas do TED. Mas, o evento será transmitido ao vivo no site a partir das 9h30m, e poderá ser assistido depois via Facebook, em . No Twitter, o endereço é @TEDxUFF. A Afropress fará a cobertura dos debates em tempo real, trazendo para você o melhor dos palestrantes.

Tavares, com o apoio de nove pessoas do LEECCC, conseguiu montar o evento inteiro com todos participando como voluntários.

“Os recursos da Ampla, patrocinador do TEDxUFF, iam direto para os fornecedores” conta Tavares, que produziu o evento com apoio da Fundação Roberto Marinho, da FEC (Fundação Euclides da Cunha), do Programa de Pós-graduação da UFF, da Agência de Inovação/PROPPI-UFF, da WebTV/UFF e da Fundação Getúlio Vargas.

O organizador explica que, além da importância do evento, ele também já está servindo para disseminar a ferramenta. Segundo ele, a grande maioria dos acadêmicos desconhecia o modelo TEDxUFF e vários professores já estão se organizando para reproduzir a fórmula em suas próprias universidades pelo Brasil afora.

Racismo light carioca: A Senzala financia festa da Casa Grande.



Sempre atento nosso correspondente do Rio de janeiro, Luis Carlos Gá , nos manda suas impressões sobre o festival Black2Black, financiado com 2.000.000,00 (milhões) pelo ministro de final de governo da Secretaria para igualdade Racial(Seppir).
Festa para comemorar a produção cultural negra, a 70 reais a entrada, deu no que deu, só sarado da zona sul na platéia, nem a modelo negra do cartaz foi convidada para estar no setor VIP(Very important Preto) da lambança no melado light.
Nós da Mamapress concluimos que o ministro Elói entendeu que a palavra igualdade do ministério, significa que é para tudo ficar “igual” como sempre: Preto balançando as nádegas e platinados faturando dos cofres públicos.
Esperamos e vamos fazer de tudo para que a nova presidência dê uns ajustes nestas igualdades só para quem está por cima.
Não queremos ministérios com uma camada de verniz preto, prá enrolar a pretada que rala.
O Zumbi desaparecido do seu panteon na Presidente Vargas, deve estar dando risadas, ao ver que os pretos cariocas são tão “bonzinhos” e adoram carregar políticos nos ombros, até as portas das festas em que são barrados na entrada.
mr