Afropress informa:Educação étnicorracial será tema na Federal Fluminense


Educação étnicorracial será tema na Federal Fluminense
Por: Redação: Rosiane Rodrigues – Fonte: Afropress –

Rio – Relações étnicorraciais e intolerância religiosa serão os temas debatidos no primeiro evento brasileiro independente no modelo TEDx (Technology, Entertainment and Design), com foco na educação, que acontece nesta sexta-feira (03/08) na Universidade Federal Fluminense (UFF).

O modelo surgiu na Califórnia em 1984, e já teve como palestrantes, entre outros, o fundador da Microsoft, Bill Gates, o ex-vice-presidente americano, Al Gore, a escritora chilena, Isabel Allende, e o ex-premiê britânico Gordon Brown. As palestras com duração de 18 minutos ficam disponíveis gratuitamente no site oficial do evento.

O modelo prevê também eventos independentes no mesmo formato, os TEDx. O da UFF será um desses. O primeiro no Brasil foi o TEDxSãoPaulo, em 2009. Depois dele, quase 100 aconteceram aqui no país.

No Rio, serão 12 palestrantes, entre mestres, cientistas e artistas de diversas áreas de conhecimento. O objetivo das palestras é apresentar experiências inovadoras e propostas críticas e práticas que influenciem o aprendizado e o pensamento educacional. Os palestrantes não são remunerados e toda equipe do evento é de voluntários.

As conferências serão transmitidas ao vivo pelo site www.tedxuff.uff.br , bit.ly/tedxuff ,e www.mamaterra.org   A Afropress e a Mamapress são parceiras do evento.

Julio Tavares

“Educação hoje é o grande desafio do Brasil. E uma vez mais se confirma a total falta de coragem dos governantes e da própria composição política do país. Todo mundo usa educação como retórica. Mas na hora da virada, como Japão, Coreia e África do Sul fizeram, falta coragem”, explica Júlio Cesar de Tavares (foto), fundador do Laboratório de Etnografia e Estudos em Comunicação, Cultura e Cognição (LEECCC) da UFF e organizador do evento.

Tavares acrescenta que o TEDxUFF apenas começa no dia 03. “Todo o evento é preparado para ser transmitido online. É como um programa de televisão com auditório selecionado, que ficará para a posteridade. As conferências serão vistas online e depois de editadas, a partir do dia 20 de agosto, ficarão disponibilizadas no site do TEDxUFFF e no do TED para sempre”.

Quem são os palestrantes

Não é exagero afirmar que o TEDxUFF vai reunir os melhores pensadores da atualidade, principalmente nas questões que envolvem diversidade e acesso à educação. Por exemplo: Muniz Sodré irá abordar a “Educação e novos agentes produtivos”; Petronilha Silva fala sobre “Relações etnicorraciais e educação”; Carlos Eduardo Mathias Motta, explica seu conceito de “Matemática Humanista: uma perspectiva cultural no Ensino para Deficientes Visuais por meio de Ritmos Musicais”, e muito mais.

Você pode conferir todos os temas das conferências no site http://www.tedxuff.uff.br

O que é o TEDx:

O modelo TED (Technology, Entertainment and Design) surgiu na Califórnia em 1984, e o primeiro no Brasil foi o TEDxSãoPaulo, em 2009. Depois dele, quase 100 aconteceram no país.
O TEDxUFF acontecerá no auditório da Ampla com participação presencial de apenas 100 espectadores, atendendo às normas do TED. Mas, o evento será transmitido ao vivo no site a partir das 9h30m, e poderá ser assistido depois via Facebook, em . No Twitter, o endereço é @TEDxUFF. A Afropress fará a cobertura dos debates em tempo real, trazendo para você o melhor dos palestrantes.

Tavares, com o apoio de nove pessoas do LEECCC, conseguiu montar o evento inteiro com todos participando como voluntários.

“Os recursos da Ampla, patrocinador do TEDxUFF, iam direto para os fornecedores” conta Tavares, que produziu o evento com apoio da Fundação Roberto Marinho, da FEC (Fundação Euclides da Cunha), do Programa de Pós-graduação da UFF, da Agência de Inovação/PROPPI-UFF, da WebTV/UFF e da Fundação Getúlio Vargas.

O organizador explica que, além da importância do evento, ele também já está servindo para disseminar a ferramenta. Segundo ele, a grande maioria dos acadêmicos desconhecia o modelo TEDxUFF e vários professores já estão se organizando para reproduzir a fórmula em suas próprias universidades pelo Brasil afora.