O poeta, artista visual e professor Moacy Cirne se despede aos 70 anos


fonte: Tribuna do Norte

Puxa, cada notícia! Moacy Cirne, grande figura, de uma generosidade intelectual maravilhosa. Nos setenta sempre o encontrava pela Cinelândia, MAN e batíamos papos incríveis e eu sempre saia bêbado de novos conhecimentos, que ele distribuía generosa e libertariamente para os em volta.

Wally Hermann, nosso amigo comum me alertou sobre o desenlace desta grande figura que durante a ditadura, ajudou tantos jovens a manterem a consciência de que liberdade e dignidade humana eram bens intocáveis.

Morreu neste sábado (11), aos 70 anos, por volta das 13 horas, no Hospital da Unimed, em Natal, o poeta, artista visual e professor Moacy Cirne, considerado o maior estudioso brasileiro das histórias em quadrinhos e um dos fundadores do movimento que ficou conhecido como Poema/Processo. O corpo será velado hoje a partir das 20h no Centro de Velório do Morada da Paz, na Rua São José, bairro Lagoa Seca. O sepultamento ocorrerá em Caicó, onde o escritor nasceu. O horário ainda está sendo definido.

Kamilo MarinhoMoacy Cirne contesta edição da global editora sobre obra de cascudoMoacy Cirne contesta edição da global editora sobre obra de cascudo

Conhecido por sua paixão pelos quadrinhos e pelo time do Fluminense, Moacy sofreu uma parada cardíaca pouco tempo depois de passar por um procedimento cirúrgico. O poeta ainda ficou em coma induzido, mas não resistiu, afirmou seu enteado. Ele havia descoberto um câncer no fígado recentemente.

Moacy nasceu em São José do Seridó/Jardim do Seridó, em 1943 e é considerado referência até hoje quando se trata de Histórias em Quadrinhos no Brasil, segundo a editora da Universidade Federal Fluminense (UFF). Pioneiro na área, escreveu livros como A explosão criativa dos Quadrinhos, Ideologia e desmistificação dos super-heróis, Bum! – a explosão criativa dos quadrinhos e Literatura em quadrinhos no Brasil, entre outros. A paixão pelo assunto nasceu quando ainda era criança. “Ela começou em Caicó, interior do Rio Grande do Norte, no final dos anos 40. O Tico-Tico (primeira revista de nível nacional a apresentar histórias em quadrinhos para o público infanto-juvenil) representava todo um mundo para mim”, esclareceu em entrevista concedida à editora da UFF anos atrás. Você confere a entrevista aqui.

Seu último livro – Seridó Seridós – foi lançado no último dia 14 e como ele próprio disse, em entrevista à Tribuna do Norte, ” tem um pouco de tudo: de críticas a memórias e fotos, de homenagens, poemas a listas de livros e filmes”, afirmou o homem, que era ao mesmo tempo poeta/processo, professor, escritor, pesquisador, cinéfilo, jornalista e leitor de quadrinhos.

Muitos natalenses lamentaram a morte do poeta Moacy Cirne nas redes sociais.

> O jornalista Carlos Magno Araújo postou em seu twitter mais cedo: “Luto na cultura potiguar. Muito triste com a morte de Moacy Cirne”. E acrescentou no instagram: “Com as cores que ele amava, homenageio o grande Moacy Cirne. Morreu no início da tarde. Há pouco tempo descobriu um câncer no fígado. Ontem se submeteu a cirurgia. Pouco tempo depois sofreu parada cardíaca. Ainda ficou em coma induzido, mas não resistiu. Caicoense, tricolor roxo, abecedista, quadrinista, escritor, jornalista. Uma grande figura humana. Potiguar que nos orgulha”, junto a foto do uniforme do Fluminense.

> O produtor musical José Dias Júnior, marido da cantora Khrystal, postou no facebook: ” Que tristeza”.

> O também jornalista Tácito Costa publicou um texto em seu blog Substantivo Plural esclarecendo a causa da morte: “Moacy estava internado desde a última quarta-feira, quando deu entrada no hospital para fazer procedimentos médicos relacionados a um tratamento antigo que fazia para combater uma hepatite. Durante o procedimento o quadro clínico se complicou e o escritor teve posteriormente uma parada cardíaca, foi levado a UTI mas não resistiu. O velório deverá ocorrer a partir desta tarde no Centro Morada da Paz, na rua São José, e o sepultamento ocorrerá amanhã em Caicó (Fátima ficou de me ligar para confirmar essas últimas informações)”.

> A poetisa Carmem Vasconcelos também postou uma mensagem sobre a morte de Moacy nas redes sociais: “Luto no meu coração”. Carmem chegou a escrever um poema sobre a finitude da vida anos atrás: “nem a delicadeza das harpas, nem a fúria dos arpões. Ninguém dentro de mim me anima a desafiar o acabar das coisas (…)”.

Elza Soares em Hamburgo. A Diva da MPB que faz parar até vaia para presidente no Maracanãzinho,vem mostrar a cadência do samba na Alemanha.


Entrevista de Elza Soares para a Radio Mamaterra em 2008.  Ela conta o episódio em que fez com seu canto à capela, 90 mil pessoas que apupavam no Maracanãnzinho o presidente da república, silenciar para ouvir e reverenciar uma mulher que tirava da entranhas do Brasil o som de respeito pelo nosso povo.

Parecia até um sonho quando recebi um telefonema do Joca Neto, parceiro da Rádio Mamaterra, com sua atuação de longos anos à frente da Rádio Made in Brazil de Estocolmo. Eles nos falava que a Diva Elza Soares queria vir cantar em Hamburgo no ano Internacional dos Afrodescendentes.

Dissemos logo que sim e entramos em contato com a jovem empresa produtora musical “Gafieira Universal”, pessoal bom, com o músico Sérgio Br e sua companheira Becci na direção. Era um assunto de alta responsabilidade, trazer a nossa Diva, rainha de nossas rádios , pra nossa cidade com seus portos abertos para o mundo.

Elza Soares

Dito e feito a grande Diva Elza Soares topou, a banda que a acompanha está no top internacional, com Mo Jonas no contrabaixo e direção musical, Afonso na bateria e Sérgio Br na percussão.

Hamburgo que nos últimos tempos já recebeu até presidente e presidenta do Brasil ao mesmo tempo, recebe agora a Rainha da Música Popular Brasileira. Vamos lotar o Fabrik no dia 7 de outubro. Caravanas de fãs já se organizam em toda a Alemanha, para curtirem esta oportunidade primeira.

Como sempre Elza Soares faz questão de apoiar os brasileiros e brasileiras locais com seu canto cheio de energia e um sincopado, que entorta qualquer baterista de primeira viagem.

Tragam seus amigos alemães pra virem assistir e emocionarem-se, em um show de samba que não se aprende na escola!

Quem viver verá quem não viveu não viverá!