O COMEÇO DO FIM


Transições anestesiadas

Transições anestesiadas

por Eduardo Papa***

Eduardo Papa

Eduardo Papa

Penso que o discurso patético de lula hoje na sede do PT, marca uma mudança na trajetória de sua estrela, com a repetição da mesma catilinária cansativa de perseguição das elites aos pobres e repleto de bravatas, que a essa altura soam ridículas. A estrela do PT e de seu líder iniciaram o caminho da decadência.
O telejornal vespertino da Globo já demonstrou a dimensão do linchamento que começou, o PT vai experimentar o mesmo processo que o velho PDT enfrentou com Brizola, processo que aliás eles não fizeram nada para deter, ao contrário participaram de maneira oportunista esperando ganhar com o espólio do meu velho caudilho no Rio.
A chamada à mobilização do partido e da militância dos movimentos sociais é um senhor tiro no pé. Talvez o pernambucano citado no discurso, para o qual ele arrumou uma dentadura e a extensa clientela dos esquemas políticos e sindicais que controlam, ainda tenham folego para uma resposta inicial, mas esse chamado à manifestações de apoio pode ser algo como a pífia proposta do Collor quando estava para cair chamando o povo a ostentar verde e amarelo.
Ao contrário quem ganha um novo gás é a extrema direita cujas manifestações estavam mortinhas.
Fazer coincidir a “condução coercitiva” do Lula, com a autorização para processar o Cunha. foi uma jogada genial, coloca todos mais ou menos no mesmo patamar ante a opinião pública. O próximo passo é a Dilma que vai ter que rebolar para escapar da degola, vai sobrar para o Renan Calheiros e que não se animem muito os tucanos, pois não parecem destinados a voar muito alto, enrolados em seus próprios problemas e bastante desgastados. O fim do ciclo petista marcará também o ocaso de seu inimigo siamês.
Com a economia destruída, recessão, inflação e um descontentamento popular crescente, está formado um cenário bem parecido ao final do governo Sarney, resta saber quem será o “caçador de marajás” de 2018, quem o capital vai apresentar para substituir o modelo que está acabando?
Virá uma repaginada pós moderna com a Marina, Natura e cia?
Virá um troglodita oriundo da seara de bolsonaros e felicianos? Quem sabe?
Muita água ainda tem para rolar, mas o perigo é o mesmo que na época da ascensão de Collor, pois com uma crise açoitando suas costas os eleitores ficam desorientados, presas fáceis para alternativas messiânicas que surgem de última hora com grande apoio midiático.

***Eduardo Papa é professor da rede pública e ativista do movimento social no Rio de Janeiro

O referendo na Grécia e o Cavalo da Troika


O Cavalo da Troika

  O Cavalo da Troika

por marcos romão

Como acompanho todo dia esta “ousadia” grega, e também tô cheio de dúvidas, as dúvidas de meu amigo Januario Garcia, me ajudam a pensar no que está em jogo.

Meu amigo me fala das interrogações que hoje estão nas cabeças de todos que acompanham esta Maratona:

“Esta tudo muito confuso para mim, a votação do Sim e do Não é em cima de um acordo que não existe, eles não honraram o pagamento, objetivamente não existe mais essa proposta.

O Primeiro Ministro pede para o povo votar não e se ganhar na segunda feira ele vai a Bruxelas assinar um acordo que não foi submetido ao povo. Para mim literalmente eles estão falando grego, não entendo nada”, diz meu amigo Januário.

A Europa foi pensada para ser uma super democracia consensual, em que todos os Estados se fortaleceriam e seus cidadãos ganhariam um “bônus” de participação, na medida em que, para participar da Europa, cada país deveria respeitar, direitos humanos, direitos individuais, liberdade religiosa e toda uma lista de direitos civis.

E o que se passa?

A Europa passou a ser governada pela TROIKA- que é formada por três elementos, a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) e nenhum dos seus executivos foi eleito pelos seus 504 milhões de habitantes.
Assim, se no referendo acontecer um NÃO, o partido do Tsipras, vai demonstrar aos 500 milhões de Europeus, que eles ainda podem votar para alguma coisa.
Se votarem o OXI / NÃO, o povo Grego pode até se ferrar, mas vai se ferrar consciente e, não como ovelha, que cumpre regras de uma TROIKA não eleita, que cobra uma dívida em sua maior parte baseada em jogos bancários, especulação e porque não dizer corrupção. Dívida e seu pagamento que está obrigando as populações dos paísesdo sul da Europa a viverem a pão e água, para que acordos econômicos sejam cumpridos.
Hoje está sendo votado, se a Europa futura será tecnocrata ou democrática como seus fundadores a propuseram.
Lembra um pouco o Brasil, em que você vota para uma coisa, e leva outra coisa para casa.

Sem percebermos também caimos num espécie de governo casuístico, tecnocrata e “TROIKIANO”, e entramos no rol dos dos governos,  que batizo como governanças do  ” Cavalo da Troika”.

Espero que hoje, ao final da votação, o povo da cidade de Maratona, assim como todo o povo Grego, consiga completar esta jornada, sem morrer de esgotamento, como aconteceu como o emissário Fídipes, ao correr de Maratona até Atenas para anunciar a notícia da vitória.

DAS INVERDADES PUBLICADAS NO JORNAL O GLOBO DE ONTEM (25/07)


por Erika Gavinho

publicado no Facebook

foto O Globo

foto O Globo

Muitos de vocês sabem que atuei, nos últimos dias, para a liberdade do meu primo, IGOR PEREIRA D’ ICARAHY. Na quinta, depois do tal do “sarquemento” ser, finalmente, realizado, quase 24 horas depois da decisão do Desembargador Siro Darlan, me dirigi ao Complexo Penitenciário de Gericinó (Bangu), vez que, então, IGOR seria libertado.

Lá chegando, soube que o oficial de justiça já havia entregue o alvará de soltura e que estavam realizando os procedimentos para a sua liberdade. O agente me disse que eu poderia aguardar, mas que não poderia colocar o IGOR no carro, pois o procedimento determina que o preso tenha que sair do Complexo Penitenciário a pé. Ele deveria andar os cerca de 3 km até a saída e, depois desse registro, já do lado de fora do Complexo, aí sim, poderia entrar no meu carro. Mas a SEAP terminou por enviar um furgão que levaria IGOR até a porta principal. Tentei, em vão, falar com a segurança do Complexo, na porta principal, para que, após os tais procedimentos de segurança, o IGOR pudesse entrar no meu carro, sem passar pela aglomeração de pessoas e jornalistas.

O IGOR foi o primeiro a sair. Atravessou, a pé, o portão principal do Complexo, como determina a SEAP, abraçou os seus pais e o levamos ao carro de seu tio. Houve muita pressão de fotógrafos e cinegrafistas, em busca de uma imagem sua, mas saímos sem qualquer confusão. O carro onde estava o IGOR na frente e o meu atrás. Fomos, diretamente, para a casa dele, onde sua avó de mais de 90 anos o aguardava para jantar, e ali ficamos até que ele foi dormir. Ontem, pela manhã, soube dos incidentes, envolvendo manifestantes e imprensa, na porta do Complexo de Gericinó.

Isto foi o que eu vi e vivi. Portanto, fiquei muito incomodada com a versão do jornal O GLOBO de que os três (Igor, Camila e Elisa) teriam saído numa fiat uno. ISTO É MENTIRA! ISTO NÃO É JORNALISMO!

Sobre fatos, envolvendo a prisão de IGOR, lamentavelmente, não é a primeira INVERDADE que O GLOBO publica. Uma outra foi a de que, no dia 12 de julho, quando todos foram presos e ocorreram buscas e apreensões, teriam sido encontrados explosivos em sua casa. MENTIRA!

IGOR, como se sabe, foi preso na casa da Camila, sua namorada. Na casa de sua mãe, onde o IGOR reside, houve uma busca e apreensão, mas foram apreendidos, tão somente, uns panfletos e uma listagem com nomes e e-mails.

Sou uma entusiasta da DEMOCRACIA e reconheço na imprensa um papel importante para esta garantia. Mas, assim como há advogados e advogados, há jornalistas e jornalistas. Tenho diversos amigos jornalistas e me orgulho de suas atuações, mas o que O GLOBO publicou ontem foi, mais uma, MENTIRA.

URGENTE Advogada Eloisa Samy acaba de entrar no Consulado do Uruguai pedindo asilo político e o batalhão de choque cerca o local. MUJICA OFERECE ASILO POLÍTICO PARA OS ATIVISTAS PERSEGUIDOS! CRISE DIPLOMÁTICA À VISTA?


URGENTE

Advogada de Direitos Humanos-Heloisa Samy

Advogada de Direitos Humanos-Heloisa Samy

Advogada Eloisa Samy acaba de entrar no Consulado do Uruguai pedindo asilo político e o batalhão de choque cerca o local.

NESTE MOMENTO:Embaixada do Uruguai cercada pelo batalhão de Choque. MUJICA OFERECE ASILO POLÍTICO PARA OS ATIVISTAS PERSEGUIDOS! CRISE DIPLOMÁTICA À VISTA?

fonte: Midia  Independente e Coletiva-MIC

 

Grande imprensa replica imagem divulgada na web de PM que teria roubado cineasta em protesto


Jason O´Hara também foi agredido com chutes de policiais

O DIA

Rio – Depois de divulgar vídeo em que o cineasta canadense Jason O’Hara, de 35 anos, aparece sendo agredido por um PM com um chute, durante protesto contra a Copa do Mundo, no domingo, o Jornal Nova Democracia publicou, nesta terça-feira, imagens de um policial que supostamente teria roubado o equipamento do profissional.

Imagem mostra PM roubando a câmera instalada no capacete do cineasta canadense, que filmava protesto

Foto:  Reprodução/Facebook

 

Além das fotos, o jornal escreveu que “Depois de horas de análise das imagens registradas, o Jornal Nova Democracia conseguiu identificar o policial militar que roubou a câmera do cineasta Jason O’hara como soldado Ximenez. Após o roubo, o policial que vinha caminhando atrás do criminoso, ao invés de repreender seu colega de farda, deu um chute no rosto de Jason, deixando-o completamente desnorteado”.

Policiais cercam cineasta, momentos antes da agressão, e o impedem de filmar a ação da PM durante o protesto

Foto:  Reprodução Facebook

 

Jason, que usava capacete na hora da agressão, disse estar decepcionado com a PM. Ele relatou que foi agredido a pontapés por cinco ou seis policiais, antes da agressão com um chute. “Essas imagens estavam num cartão, roubado por um PM junto com a minha câmera GoPro, que era acoplada no meu capacete. Fui agredido e roubado pela Polícia Militar. Ridículo, né?”, desabafou, mostrando ferimento na perna direita, que atingiu até o osso, e causado, conforme ele, por chute.

Jason já produziu documentários de causas sociais em 20 países e é autor de ‘Ritmos de Resistência’, exibido no Festival de Cinema do Rio, sobre impactos das Unidades de Polícia Pacificadora. Atualmente, produz filme sobre remoções supostamente forçadas para as obras do Mundial e das Olimpíadas 2016.

Cineasta canadense, Jason Ohara, foi atendido por voluntários após agressão de policial militar

Foto:  Severino Silva / Agência O Dia

 

Segundo o Sindicato dos Jornalistas do Rio, que emitiu nota, outros 15 profissionais de imprensa foram feridos.  Em outro vídeo, feito com um celular no domingo, PMs aparecem, em meio a gritos e muita confusão, usando spray de pimenta e correndo atrás de pessoas dentro da Estação do Metrô da Saens Peña.

Em nota, o comando da Polícia Militar informou que “determinou a abertura de inquérito para apurar os atos de violência de policiais contra cidadãos no domingo”.

saiba mais

Após denúcias PM manda prender 4 policiais envolvidos nas agressões;

Polícia ou bando de rufiões que espalham o terror de um novo regime?


por marcos romão

Repórter ferido

Repórter ferido

É preciso que analisemos com uma certa distância e sem partidarismos, as imagens e vídeos do que se passou na Praça Saens Pena no último jogo da Copa 2014, que aconteceu no Maracanã.

O que se passou por lá?

Uma manifestação com um número relativamente pequeno de manifestantess, que pelas imagens em nenhum momento constituiam ameaça à segurança pública, passam a ser atacados por bombas de efeito moral, gás colorido e de lacrimogêneo, além de cassetes e spray de pimenta e terminam sitiados por horas sujeitos a todo tipo de violência estatal.

O que a um primeiro momento mais parece um caos sem comando, com policiais que mais pareciam não saberem o que fazer fugindo do gás  e rodando que nem perus sem orientação, revela-se nas imagens uma desordem orquestrada pelas forças da ordem. O ataque a pessoas presas por grades na estação do metrô Saens Pena, o direcionamento das agressões a jornalistas e o disseminado ataque aos moradores da localidade, depreendem uma jogada previamente ensaiada para instalar o terror, além de prenunciarem como  a Secretaria de Segurança e o governo do Estado do Rio vão continuar tratando as questões sociais no Rio.

Pode-se muito bem observar que em meio às tropas, que lá deveriam estar para garantir a ordem pública e segurança dos cidadãos, inclusive dos manifestantes que desarmados não atacavam ninguém, encontravam-se soldados fardados, fazendo o papel de rufiões instigadores e aplicadores de violência, como a exemplo das tropas da SA na década de 30 na Alemanha. Eram policiais militares que estavam ali não para estabelecer a ordem e sim o caos e a violência.

Policial presente em várias ações violentas e "aparentemente" sem controle e comando.

Policial presente em várias ações violentas e “aparentemente” sem controle e comando.

A campanha eleitoral já começou. Nos estados democráticos se preveem em período eleitoral, comícios, caminhadas, discursos nas ruas, protestos e apoios. Eleição é um fenômeno de massas em que cada cidadão passa a ser o governo durante um curto período. É o momento em que manifestar sua opinião e intenção de voto estaria em tese protegida pela constituição, que diz que todo o poder emana do povo.

Caros amigos e amigas que ainda acreditam em cidadania e possibilidade em termos direitos democráticos:
Não é o que o governo, ou o que está por trás do governo do RJ fala que é a verdade. Eles não desejam a ordem democrática e  não estão atrás de “terroristas”. Eles estão querendo calar toda e qualquer oposição  e impedir toda livre discussão democrática, que possibilite mudanças profundas nas relações entre os poderes e direitos dos cidadãos e os poderes do Estado.
O enredo da peça já está montado. Milícias com ou sem fardas irão atuar direto nas campanhas. É necessário que todos os democratas e amantes da liberdade de todos os partidos e sem partidos, acordem para combater a hidra do mal instalada em nosso Estado do Rio.

Enquanto isto não acontece, recomendo aos meus colegas jornalistas, ativistas e cidadãos comuns, que andem sempre com mais de um e nas confusões que apareçam, fiquem de costas uns para os outros para se protegerem com 4 olhos, pois a ordem secreta é caçar todo tipo de oposição. As tropas já saem nas ruas com as fotos dos “inimigos” que vão levar porrada.

Que meus amigos e amigas não percam tempo com discussões teóricas e defendam o seu vizinho, mesmo que tenham discordâncias ideológicas.
Só sobreviveremos em liberdade se estivermos juntos.

Estamos todos no Rio de Janeiro nas mãos de bandidos fardados, com a leniência e comando da justiça e dos governos municipal, estadual e federal.
Nem nas manifestações de 70 vi tantas porradas gratuitas da polícia.  A imagens abaixo demonstram muito bem que “tropas” são estas.

REPÓRTER ACUSA A REDE GLOBO | Direto da Redação – 10 anos


Nesta época de tantos grampos em que o jornalismo brasileiro, ou melhor as “redações” de jornalões e revistas, donfrontam-se com uma cachoeira de lama. É sempre vom lembrar que focinho de porco não é tomada.

REPÓRTER ACUSA A REDE GLOBO | Direto da Redação – 10 anos.

A jornalista Cristina Guimarães, da Rede Globo de Televisão, prestou depoimento em sessão especial do Conselho da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) no último dia 9 de julho sobre a ação trabalhista que move contra a emissora sob o argumento de que esta não lhe deu proteção de vida quando passou a ser ameaçada por narcotraficantes da Rocinha depois de fazer a matéria “Feira das Drogas” veiculada no “Jornal Nacional” em agosto de 2001. Naquela ocasião Cristina trabalhou em parceria com o repórter Tim Lopes – assassinado mês passado na favela de Vila Cruzeiro, no Complexo do Alemão – e com ele dividiu o Prêmio Esso de Jornalismo do ano passado. Cristina trabalhou 12 anos na emissora, sendo seis deles no “Jornal Nacional”, depois de passar pelos núcleos do “Fantástico” e do “Globo Repórter”.

Atualmente Cristina está afastada do dia-a-dia da profissão, vive escondida fora do Rio de Janeiro e depende da ajuda da família e dos amigos para se manter. Segundo ela, as ameaças dos narcotraficantes da Rocinha começaram pouco depois da matéria “Feira das Drogas” ir ao ar. Ela pediu providências aos seus chefes na Globo mas como nada foi feito, segundo ela, apesar de reiteradas gestões, decidiu se afastar da emissora e processá-la. Ela relatou que por causa da matéria “Feira das Drogas” foram identificados e presos 18 traficantes na Rocinha e 11 no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio. Continuar lendo