A PM que quero extinta não é a sua, é a minha PM


Marco Romão

romao-neutroÉ preciso que fique claro para meus amigos, que a Polícia Militar que falo e que desejo sua extinção é a PM de meus conhecidos e amigos, é a PM do PRIMEIRO E ÚLTIMO EMPREGO PARA JOVEM NEGRO.
“Senhor” de cabelos brancos, já não levo nem um baculejo nem uma geral fazem algumas décadas. Sei como evitar uma geral, uma revista íntima de toque no cu e nos bagos. Preciso evitá-las, pois sei que com meu olhar de negro experiente em viagens pelas Oropas, Franças e Bahias, com meu prescrutante olhar, o garoto negro fardado, vai se intimidar e pode me matar. Eu evito como posso morrer à toa.
Nada falo, mas sei que meu olhar cortante dá uma rasteira mental no meganha começando a vida de morte. E garoto com uma Glock na mão. ao se sentir ameaçado, é um passo para a minha morte morrida e esculachada,
Evito levar um baculejo, pois quanto mais velho, mais minha resiliência diminui, menos jeito eu tenho de dar um jeito de passar batido por um esculacho.
Minha língua não tem travas diante da humilhação. A perda deste freio pode significar um esculacho, um tapa na cara dada por um fedelho fardado cheio de autoridade e medo. Posso perder a temperança e morrer feito cachorro doido, nas mãos de quem esfregue a arnica do racismo em minha pele rasgada pelo tempo. É sempre um risco sair nas ruas e ver uma covardia na minha frente.

Foto: José Zezinho de Andrade

Foto: José Zezinho de Andrade


Evitar um confronto com um “negro fedelho pau mandado fardado”, custa saúde, custa coração e arrasa minha mente. Custa muito tempo de vida e de escrita, de um tempo em que eu poderia estar a escrever firulas boas da vida e das novas bossas de Ipanema.
É preciso que fique claro que quando um negro fala da extinção da PM, falamos da extinção do medo, que mata lentamente cada soldado PM. Sim cada soldado, porque este medo entranhado na vida de soldados negros, não passa nem na pele nem na cabeça de oficiais brancos.
Falamos de nossos primos, irmãos, sobrinhos e filhos de amigos, que viram PMs na busca do PRIMEIRO EMPREGO.
Para matador preto na PM têm COTAS sobrando.
Não tenho nem nunca tive nenhum soldado PM como inimigo pessoal. Me preocupo com eles, traficantes da morte que nos “endrogam”, como me preocupo com os outros jovens negros, traficantes das drogas que nos assassinam.
São duas faces de meus filhos parentes e amigos. Que com meus 62 anos de idade, só lembro dos tempos bons em que brincávamos de escambida e mocinho e bandido com balas de mamonas.
Hoje a maioria desses fedelhos que nós éramos está morta, mofando nas prisões, ou fardados cheirando todas para aguentar a merda de vida de matadores que levam.
Sou pela extinção da PM porque sou pelo fim deste engenho da morte que produz um caldo adocicado e encanado do sangue da morte de meus, todos eles, amigos negros. ‪#‎marcosromaoreflexoes‬
‪#‎111tirosnegros‬

Anúncios

Um pensamento sobre “A PM que quero extinta não é a sua, é a minha PM

  1. Pingback: Ainda sobre o fuzilamento dos meninos de Costa Barros. | Mamapress

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s