Atentado à bala contra migrantes em frente à Igreja do Glicério fere 5 em São Paulo. Não foram socorridos. Após denúncias, Direitos Humanos de SP encontra e encaminha imigrantes haitianos feridos ao Hospital


por marcos romão

A Mamapress acompanha desde sábado 1 de de agosto, denúncias de migrantes de países africanos que vivem na cidade de São Paulo. Nosso colaborador Aristóteles Kandimba  informara ao Sos Racismo Brasil, que tem a Mamapress como canal de comunicação, que 5 imigrantes haitianos teriam sido vítimas de um atentado xenófobo e terrorista à bala em frente à Igreja do Glicério em São Paulo, ponto de encontro de migrantes em busca de empregos e contatos para se adaptarem ao novo país em que vivem.

Em um primeiro momento as notícias pareciam absurdas, pois além de serem atacados à bala por um brasileiro, os haitianos não foram atendidos pelos hospitais que procuraram.

O atentado terrorista xenófobo contra imigrantes haitianos

Um brasileiro desconhecidos desceu de seu carro atirando no grupo concentrado em frente à igreja, enquanto berrava: ” vocês estão roubando emprego de brasileiros”. Depois entrou no carro e fugiu calmamente, segunda testemunhas aturdidas com o acontecimento.

Após esforços do Conluta que criou uma entidade de socorro aos migrantes, as autoridades paulistas assumiram o caso, que merece apuração em dois níveis, o de xenofobia aleatória e o de racismo intitucional. Primeiro o atentado em si contra migrantes estrangeiros, que até o momento não mereceu uma linha sequer nos noticiários da grande imprensa, e o segundo o racismo institucional, em que deve se apurado a responsabilidade dos hospitais que não prestaram socorro às vítimas conforme relatado a seguir no jornal online do Conlutas.

A Mamapress considera que o Movimento Negro como um todo e os brasileiros em geral precisam tomar conhecimentos destas barbaridades e exigir das autoridades medidas de proteção aos imigrantes que procuram o Brasil para viver com suas famílias.

A matéria do Conlutas

O coordenador de Políticas para Migrantes, da Secretaria do Município, Paulo Illes, confirmou agora à noite que os quatro feridos estavam com as balas em seus corpos;

Há uma suspeita de que um quinto haitiano veio a falecer, informação ainda não confirmada

 

1398251789_919724_1398252288_noticia_normal

Com a notícia divulgada no site da CSP-Conlutas de atentado contra imigrantes haitianos em São Paulo no último sábado, as autoridades responsáveis pelos Direitos Humanos, da prefeitura de São Paulo, iniciaram uma busca pelos feridos e conseguiram encontrar os quatro em suas respectivas casas.

O coordenador de Políticas para Migrantes, da Secretaria do Município, Paulo Illes, confirmou agora à noite que os quatro feridos estavam com as balas em seus corpos, fato relatado pela equipe do SAMU que foi buscá-los.

Eles foram levados ao Hospital Tatuapé, onde os membros da USIH estão indo para pegar todas as informações necessárias para abertura de inquérito policial. Até o presente momento foram registrados apenas dois Boletins de Ocorrência no 8º Distrito.

Atentado contra imigrantes

A USIH (União Social dos Imigrantes Haitianos), entidade responsável por organizar as lutas dos haitianos no Brasil, recebeu uma denúncia de que vários imigrantes haitianos foram vítimas de um crime, na noite de sábado (1).

Segundo informações dos próprios imigrantes à entidade, um veículo parou em frente ao local onde eles estavam concentrados, na região do Glicério, centro de São Paulo, e um homem gritou de dentro do carro que eles estariam “roubando os empregos dos brasileiros”. Então, com uma arma em punho, começou a disparar em direção ao grupo.

Foi informado que quatro deles ficaram gravemente feridos, e há uma suspeita de que um quinto veio a falecer.

O mais chocante é que eles não conseguiram atendimento médico nos hospitais e tiveram que voltar para casa com seus ferimentos em aberto.

A USIH e a CSP-Conlutas vão buscar se reunir com as autoridades na próxima semana para tomar todas as medidas necessárias sobre esse caso e outros que estão ocorrendo. O senador Paulo Paim (PT), que realizou uma audiência pública sobre a situação dos haitianos, nesta semana (veja aqui), também foi acionado para ajudar no caso.

– Saiba mais: Conlutas

Casos atuais de atentados contra imigrantes haitianos:

Haitiano é baleado em Rio Grande

Haitiano é esfaqueado por adolescentes em Curitiba

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s