DIVULGAR AS FOTOS DO NEGRO MORTO AMARRADO NO POSTE, SERIA UM SEGUNDO LINCHAMENTO? FUNCIONARIA COMO EXEMPLO A SER SEGUIDO?


DIVULGAR AS FOTOS, SERIA UM SEGUNDO LINCHAMENTO? FUNCIONARIA COMO EXEMPLO A SER SEGUIDO?

Por Marcos Romão

Não ,não vamos compartilhar, pensamos, conversamos com mais gente e resolvemos que não vamos compartilhar na Rede Radio Mamaterra, nenhuma foto de negros linchados nas ruas das capitais e cidades brasileiras.
Não vamos publicar enquanto não encontrarmos palavras e uma saída para este genocídio.
Nós negros e negras estamos entregues a própria sorte, pois não há nem nunca houve interesses dos governos em tratar deste assunto e parar esta barbárie.
No momento, é de nossa opinião que mais que chocar a opinião pública para que ela impeça que estas mortes continuem, percebemos que na falta de governo, se torna um incentivo para a lascívia dos nazistas linchadores, que todo um povo brasileiro amedrontado pela violência que impera, carrega em seu fígado, que aniquila seu coração e racionalidade mental e o torna um assassino cruel.
Todo dia recebem a mensagem das 5 horas da manhã até às 5 horas da outra manhã– Mata- Mata- Mata nas radios, Que na Globo começam com um programa ” Vai para o tronco ou vai pro buraco”, pouco antes do programa do padre Marcelo que fala de amor, ou uma Band que mostra ao vivo uma execução e o moderador ao ver o brilho dos tiros nos motoqueiros, diz ter sido o reflexo do retrovisor da moto do policial.
Não, Não e Não, não podemos mostrar nossos mortos enquanto não sabemos o que fazer para nos defendermos.
Não queremos incentivar mais mortes, pois cada um brasileiro que toma conhecimento, que pode linchar um negro até a morte e continuar impune, será mais um brasileiro, que poderá amanhã matar um filho negro nosso.
Não publicamos porque estamos com muita raiva. E ódio não é bom conselheiro.
Estamos refletindo, refletir e nos organizarmos contra esta barbárie, é no momento nossa melhor defesa. Mas não vai ficar por aí. Todos nossos amigos e amiga querem uma resposta democrática. Se der. Esperamos que a sociedade brasileira, se toque para onde está caminhando e sendo levada pela turma da bala.
O deputado Jean Willis optou por manifestar sua indignação que também é nossa, mostrando uma foto montagem que compara o linchamento do homem negro em São Luiz, 2015, às torturas dos escravos no Brasil da era escravocrata.Ajudaria esta montagem a despertar a indignação e compaixão dos brasileiros, diante da violação dos direitos da pessoa humana e da barbárie?
Infelizmente, pelo que lemos na maioria dos comentários no facebook, acreditamos, que a população brasileira, no momento, quando vê nestas fotos-montagens, vê nelas um estímulo para fazerem o mesmo.  Amedrontadas que estão diante da violência que as aflige, e do abandono por parte do Estado em que vivem.A seguir a postagem do deputado Jean Wyllys (vejam com a foto-montagem) DIVULGAR AS FOTOS, SERIA UM SEGUNDO LINCHAMENTO)

Mais uma vez, o linchamento, a barbárie eivada de racismo. Cleydenilson Pereira Silva, um jovem de 29 anos acusado de ter cometido um crime, foi amarrado a um poste e espancado até a morte por uma turba de psicopatas em São Luis, Maranhão. Chutes, pedradas, garrafadas, juízo e condena sem juiz nem advogado, sem lei nem direitos, sentenciado à morte por uma multidão surtada de fascismo. Lembrei-me da âncora cafona do telejornal, do fascista viúvo da ditadura, dos propagandistas do ódio e da “justiça” sem lei. Lembrei, também, de um trecho do meu livro “Tempo bom, tempo ruim”.

“Em sua visão do mundo estreita e sustenta em preconceitos, a âncora do telejornal e os que lhe aplaudem consideram a defesa dos direitos humanos dos pobres e dos marginais um estorvo para a segurança do “cidadão de bem”. Ora, isso é algo que não podemos aceitar!

Os direitos humanos, em sua formulação consagrada internacionalmente, são de todos e todas, e não apenas da jornalista e sua turma. Os direitos à vida e à integridade física, bem como o direito à defesa num julgamento justo, não podem ser entendidos como privilégios de gente branca que mora em bairros privilegiados e tem renda para consumir – que é como a apresentadora do telejornal os entende. Esses direitos são também daquele adolescente espancado e atado a um poste por uma trava de bicicleta! Como a jornalista se sentiria se um grupo de pessoas, fazendo justiça com as próprias mãos, decidisse linchá-la justamente por sua apologia ao linchamento? Ela deveria refletir sobre essa pergunta antes de estimular a barbárie mais uma vez. Desacreditar o Estado Democrático de Direito em cadeia nacional para defender linchamento de um adolescente negro, pobre e supostamente delinquente é apodrecer nossa época. Isso, sim é fazer do Brasil o cu do mundo”.

http://extra.globo.com/casos-de-policia/caso-de-linchamento-no-maranhao-o-decimo-noticiado-no-estado-em-18-meses-16691433.html

ABAIXO O LINK DOS COMENTÁRIOS, EM SUA MAIORIA EM DEFESA DO LINCHAMENTO

DIVULGAR AS FOTOS, SERIA UM SEGUNDO LINCHAMENTO

outras 11.337 pessoas curtiram isso.

  • Antonio Golgenstein Jean, antes de postar qualquer coisa (se é vc que posta), verifique os erros de português e principalmente averigue os fatos! Vossa excelência está virando chacota nacional!

Curtir · Responder · 1 · Há 2 horas

  • Pedro Magalhaes E voltamos a epoca do olho por olho dente por dente. Pior é ver pessoas defendendo esse tipo de barbarie. A humanidade perdeu o rumo.

Curtir · Responder · 1.809 · Há 3 horas

Ocultar 138 respostas

  • Anderson Sloth se fosse “olho por olho” teriam roubado ele, e não espancado até a morte… isso vai bem alem disso

Curtir · 52 · Há 3 horas · Editado

  • Pedro Magalhaes Lhe roubaram anderson e algo que ele jamais tera de volta. Lhe roubaram a vida.

Curtir · 47 · Há 3 horas

  • Olívia Ávila Como meu pai disse: triste é ver a humanidade sendo mais humana com os animais do que com ela mesma.

Curtir · 51 · Há 3 horas

  • Luiza Souza Olho por olho e dente por dente é pagar a violência com mais violência.

Curtir · 10 · Há 3 horas

Curtir · 13 · Há 3 horas

  • Anderson Sloth não reynaldo, a culpa é nossa por deixar o odio propagar livremente

Curtir · 27 · Há 3 horas

  • Richard Oliveira Tem coisa que deixa a gewnte sem saber o que pensar, a gente tenta olhar pra frente mas ta turva demais essa visão.

Curtir · 6 · Há 3 horas

Curtir · 18 · Há 3 horas

  • Josenildobelau Lima se fosse um rico ninguem faria isto, eu tenho certeza disto, não defendo estas praticas, isto para mim é covardia… covardes…

Curtir · 14 · Há 3 horas

  • Carlos Tinga Ouvir um boato que isso é culpa do capitalismo. Pensei que era culpa do caráter das pessoas·
Anúncios

2 pensamentos sobre “DIVULGAR AS FOTOS DO NEGRO MORTO AMARRADO NO POSTE, SERIA UM SEGUNDO LINCHAMENTO? FUNCIONARIA COMO EXEMPLO A SER SEGUIDO?

  1. Marcos querido, aqui é Ana Celia do M.N. de Salvador-Ba. E nós que pensávamos que o pior acontecia na década de 1970. Estamos assistindo o pior genocídio de um povo, com quase total aquiescência da população, do governo e do Estado. Eu não sei o que fazer além de denunciar todos os dias pelo Facebook, nas minhas palestras, enfim onde eu vou e estou continuo combatendo e resistindo. força prá nós me procure no face. ana Celia da Silva.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s