Alguém aí falou mal do Mussum?


Mussum nos tempos dos Originais do Samba

Mussum nos tempos dos Originais do Samba

por Marcos Romão

Os intelectuais brasileiros adoram botar negros em gavetas. Copiam errado o Malcom X e repetem que negro ou é da Casa Grande ou é da Senzala.

Antônio Carlos Bernardes Gomes e Mussum sempre foram a mesma pessoa, ou melhor, Mussum foi uma das muitas facetas de Antonio Carlos. Aliás esta é uma características de todos nós negros, termos várias facetas, várias qualidades.

Mussum ou Antonio Carlos sempre foram críticos, e o Mussum foi sempre de uma fineza ao falar do racismo que poucos intelectuais perceberam, mas o povão sacava.
Aliás por falar em intelectuais, no Brasil, mesmo os negros, bebem da visão dicotômica branca quando analisam os negros, ou é negro bom ou é negro mau será sempre o veredito, que ao fim e ao cabo, termina dizendo que o negro apesar de bom sempre terminará como um homem mau, objeto que não pensa que obra na saída.
Vejam como o branco de esquerda adora usar as frases de efeito do Malcon X, do tempo em que ele ainda não havia se aprofundado na visão de que cada negro é um cosmos plural, que é a frase:

“Negro da Senzala e negro da Casa Grande”.

Quando depois de voltar de Meca, Malcon X sacou que era mais embaixo, o buraco do “gueto epstemológico” que bota o negro na gaveta da análise dicotômica de classes, ele teve que ser assassinado tanto pela CIA, quanto por negros com visão dual e fundamentalista do mundo e da cosmovisão negra.
Mussum é uma espressão nossa, de nossas limitações e de nossas buscas em quebrar as grades das jaulas em que tentam nos colocar todo tempo.
Por sinal, tanto o Mussum quanto Antonio Carlos Bernades, gostavam de encher a cara e gozar de suas próprias mazelas de negros na casa grande com todo o corpo, cabeça e alma na senzala. Grande Otelo e Lima Barreto que o digam.
Ainda vou ver algum ” doutor” comunicador que analise e faça uma tese a partir dos vídeos-sets do Mussum e suas gags sobre racismo e as possibilidades que ele explorou para dar o seu recado.
Por enquanto curtam o Antônio Mussum Carlos Bernardes Gomes nos originais do samba, pois até revolucionário faz xixi depois do choppis.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s