Vazamento de análise da Secom amplia crise: A ineficiência dos blogs oficiosos na Internet 4.0


foto negros ufba

Já faz tempo que os movimentos sociais defendem o pluralismo nas comunicações através de EDITAIS do Ministério da Cultura e da SECOM, que fortalecessem as discussões críticas e democráticas através de um financiamento TRANSPARENTE, de iniciativas jornalísticas populares que representassem o multiculturalidade e multi-etnicidade brasileira. 

A imprensa negra é uma bom mau exemplo de como se tratou à pão e água nos úlimos 12 anos as publicações esclarecedoras e críticas do Movimento Negro Brasileiro.
Hoje, a maioria das críticas ao governo são carregadas de um viés racial, em que subliminar ou escancaradamente, os negros levam a culpa de tudo de ruim que acontece no Brasil e neste governo.

A medicina está ruim? É por culpa dos médicos cubanos pretos.

A economia está ruim? É por culpa da bolsa-família para mulheres pretas.

A insegurança e a violência campeia? É porque não prendem os menores pretos.

A educação está despauperada? Tudo culpa dos cotistas pretos.

A família brasileira está em crise? É porque as empregadas estão exigindo carteira assinada e benefícios sociais como qualquer um.  São as pretas.

São 24 horas por dia que escutamos esta ladainha nas grandes mídias e nas redes sociais.

Os negros e as negras não foram às passeatas mas pagam o pato.

Papagaio faz a merda, e urubu leva a fama e ainda por cima paga a conta.

Paga a conta de luz apagada e paga levando porrada quando “passeateia” por melhores condições de vida nas periferias.

Levamos porrada nas ruas e da Grande Mídia que nos criminaliza e não temos recursos para nos defender na grande imprensa,  de malfeitos que outros fizeram.

Nós os negros e as negras, e porque não dizer todo o movimento social que clama por direitos humanos, dignidade e igualdade de tratamento para todos, estamos entregues à nossa própria sorte e à nossa luta de formigas nas redes sociais, que vai muito bem, obrigado, independente e crítica.

O ministro da SECOM fala do que já repetimos há 12 anos. O fios de comunicação entre o andar de cima e o daqui debaixo foram roubados, O planalto se engana ao pensar que fala com os movimentos sociais ao escutar seus assessores do núcleo duro-maria-mole.
Ao fazer um diagnóstico da crise, Traumann diz que o Planalto e o PT estão perdendo por WO para a oposição em conteúdo nas redes sociais.

Mas não é só o núcleo do governo que está perdendo de 7 a 1 nas redes sociais para as forças conservadoras, é toda a classe política, e principalmente a democracia.
O encanador que veio consertar um vazamento na minha casa, um homem negro, pais de 2 filhos e meu amigo me perguntou na úlima sexta-feira 13: ” É verdade que a presidente vai ser tirada na segunda-feira?”.
Como disse, ele é negro, piedoso, tem uma filha cotista na universidade e está feliz com o médico de família de seu bairro. Mas ele está quase convencido que a maioridade penal tem que abaixar, que a política só tem ladrão e que é melhor prá ele que fique calado e se finja de morto, pois onde ele mora o bicho tá pegando.
Ele acredita no que as mídias conservadoras disseminam. Afinal são as únicas que falam dele, mesmo que falem mal dele.

Quem vai tirar o véu que cobre os olhos do planalto e do congresso?

Quando é que as iniciativas de mídias locais e plurais serão incentivadas e não perseguidas como são as rádios comunitárias?

As concessões na área de comunicação já foram entregues aos pregadores do racismo, do sexismo, do ódio e da intolerância. Nós os de baixo só temos as redes sociais para falar o que vivemos.

O relatório do ministro da Secom revela apenas o que já sabemos desde criancinha. O recado está dado, escutem o que falamos, mas não venham com aparelhamentos!

marcos romão (editor da Mamapress)Reaja_Cotas2

Dilma se irrita com documento do Planalto sobre ‘caos político’
• Para presidente, texto da Secom criou problema desnecessário
– O Globo
BRASÍLIA – A divulgação de um documento analítico do governo que fala em “caos político” no país e ataca o ministro Joaquim Levy, de autoria do ministro Thomas Traumann, da Secretaria de Comunicação Social (Secom), deixou a presidente Dilma Rousseff “perplexa” ontem, segundo fontes do Palácio do Planalto. Dilma disse a auxiliares que foi criado um problema desnecessário, mais um complicador num momento de vulnerabilidade do governo.
No texto, divulgado anteontem, Traumann avalia que a comunicação do governo é “errada e errática”, e diz que “não será fácil virar o jogo”, numa referência à crise política. O ministro recomenda respostas mais objetivas a Dilma, sugere que ela converse e se exponha mais, e desnuda de forma profunda tudo que tem dado errado no governo. Ao fazer um diagnóstico da crise, Traumann diz que o Planalto e o PT estão perdendo por WO para a oposição em conteúdo nas redes sociais.
“Se fosse uma partida de futebol, estamos entrando em campo perdendo de 8 a 2. De um lado, Dilma e Lula são acusados pela corrupção na Petrobras e por todos os males que afetam o país. Do outro, a militância se sente acuada pelas acusações e desmotivada por não compreender o ajuste na economia. Não é uma goleada. É uma derrota por WO”, diz trecho do documento, de oito páginas.
Ontem, houve especulações entre os governistas sobre quem teria sido o responsável pelo vazamento do material. Traumann viajou para os Estados Unidos na noite de terça-feira, horas depois de o documento ter se tornado público, e não foi encontrado. Ele havia acertado com Dilma na semana passada que viajaria para visitar um parente que está em tratamento médico.
A Secretaria de Comunicação Social ganhou status de ministério no governo Lula. A pasta é estratégica por ser responsável pela relação do Palácio do Planalto com os meios de comunicação e cuidar de toda a publicidade institucional do governo. Só no ano passado, a Secom empenhou R$ 231,2 milhões para pagamento de campanhas. Nestes valores estão incluídas ações de publicidade, comunicação digital, relações públicas, pesquisas e eventos de toda a administração direta do governo.
Com a reeleição de Dilma em outubro passado, a pasta foi alvo de ataque especulativo de aliados. Setores do PT interessados em comandar a verba publicitária e em reformular a linha de comunicação do governo tentaram indicar o ministro. A nomeação de Traumann, no entanto, é considerada da cota pessoal de Dilma. Ele foi porta-voz da Presidência e sucedeu Helena Chagas, que deixou a Secom no começo do ano passado, por desgaste na relação com a presidente.
Tucanos querem explicações
O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) pediu ontem a demissão do ministro por causa do conteúdo do documento. Aloysio quer também a convocação de Traumann para se explicar na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, e uma investigação do uso de verbas públicas. O tucano classificou de “criminoso e imoral” o documento elaborado pelo ministro e o uso de verbas publicitárias federais para atender interesses políticos e partidários da presidente da República.
Aloysio vai pedir que a conduta de Traumann seja investigada pelo Ministério Público e pela Controladoria Geral da União (CGU). Ele disse que ficou estarrecido com o documento da Secom.
– Nesse documento, patenteia-se a mistura entre interesse partidário e interesse do Estado, entre governo e partido, que está na raiz de todos os totalitarismos. Na verdade, não se trata de erro de comunicação, mas de erro das ações que são comunicadas – disse Aloysio.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s