A chacina anunciada de Belém. Estamos por nossa própria conta, já dizia Bantu Steve Biko!


Publicada em 13:10 07/11/2014 – por: Luciane Reis

Fonte : Correio Nagô

Eu estarei com qualquer um, não me importa a sua cor, desde que você queira mudar a condição miserável da população negra que existe nesta terra”.

Malcolm X

Mais de 35 mortes, esse é o saldo descrito pela população que sofre diretamente com a ação policial após a morte de um policia com comprovação de que era corrupto e bandido. Mataram de maneira aleatória e como bem disse Larissa Nascimento, “  Não há apenas despreparo policial, meu povo, há crueldade mesmo, há prazer em fazer uma pessoa tentar a sorte da sobrevivência. Quando você atira na cabeça de um pessoa é pra matar, você sabe que pode matar. Quando você encurrala pessoas desarmadas não tem a intenção de acariciar. Nossa polícia não pode ser chamada de despreparada, ela é formada estrategicamente para o atentado, a tortura e o abuso – coisas que um Estado Democrático de Direito não comporta”.

É impossível descrever em sentimentos o que nesse momento e de onde falo isso significa. A comprovação de que a morte de jovens negros não  choca a sociedade é desalentador. 35 PESSOAS COM MENOS de 30 anos, esse é o saldo de Belém até agora  e o estado brasileiro DORME. Dorme o sono dos justos e de quem acha que cartas, falas de solidariedade e conversas com governadores responde a um holocausto maior que o sofrido pelos judeus. O Brasil precisa PARAR a justiça brasileira. É inadmissível que um órgão governamental, chame uma chacina em massa pelas redes sociais e isso não seja entendido como convite de extermínio, que esses não sejam punidos e afastados da corporação.

ROTAM 1

ROTAM 1

 

É um absurdo que essa página se mantenha a mais de 2 anos com avisos claros de matança de pessoas ou ditos criminosos e isso nunca tenha chamado atenção do Ministério da Justiça ou dos órgãos de controle da Justiça ou direitos humanos, se algum dia esse órgão considerou PRETO humano. Sinceramente, não vejo mais possibilidades de dialogo, vejo sim chegada a hora de seguir a orientação dos black panthers ( para quem não sabe quem são esses, segue explicação ), em dado momento da sua construção, os Estados Unidos estava  matando homens negros na mesma velocidade e com a certeza da impunidade da mesma forma que o Brasil HOJE e isso da mesma forma que aqui  não era resolvido de maneira séria.

Esses homens e mulheres cansados de enterrar seus parentes e amigos implantaram a patrulha nos guetos negros com o objetivo proteger os residentes dos  atos de brutalidade da polícia. Esses defenderam de maneira corajosa: o armamento de todos os negros, a isenção dos negros de pagamento de impostos e de todas as sanções da chamada “América Branca”, a libertação de todos os negros da cadeia e o pagamento de indenizações aos negros por “séculos de exploração branca”.

Sim, entendendo que o estado brasileiro NÃO nos defende e quando pensa em fazer isso, não quer se comprometer de fato e com a seriedade que isso pede acho que chegou o momento de debatermos o que de fato estamos chamando de políticas públicas. Não vejo mais a possibilidade de construção de políticas públicas, mediante dialogo com gestores que boicota qualquer possibilidade de alteração desta realidade por exemplo.

 

ROTAM 2

ROTAM 2

Estão nos matando em MASSA, portanto qual governo está sendo realmente pensado para nós homens e mulheres negras? A política pública central para população negra hoje, É O DIREITO A VIDA.  O GOVERNO FEDERAL tem que ter um posicionamento enérgico e sério. Não existe o que ser averiguado em uma policia corrupta e  meios de comunicação duvidoso, não dá pro governo levar em conta dados de uma  policia COMPROVADAMENTE CORRUPTA ao se fazer uma investigação ou precisar agir.  A palavra da população PRECISA prevalecer diante de qualquer dado dito oficial, quando se trata de segurança pública.

Não tenho medo de dizer o que estou dizendo, alías, tenho medo de poucas coisas. O que tenho agora é dor, tenho um  sentimento de impotência e certeza de impunidade me consumindo, tenho sentimento de solidariedade e pertencimento com cada corpo enterrado. Nove pessoas, JAMAIS construiria congestionamento de carro do IML como o acontecido no Pará essa semana ou na Bahia na chamada semana santa. 9 ( NOVE)  pessoas mortas, NUNCA fecharia uma rua por mais de 3 horas, senhores gestores.

A naturalização destas mortes se dá por ela ser da cor não valorizada e respeitada nesse país, quem diz isso não sou EU, Luciane Reis, é a pesquisa do Data Senado intitulada “ Violencia contra a Juventude Negra no Brasil”, segue link para quem não conhece (http://www.senado.gov.br/senado/datasenado/pdf/datasenado/DataSenad… ).  Chegou a hora dos governos estaduais, municipais e principalmente federal  mostrar que é dos mais pobres, precisamos está vivos, precisamos ter serenidade para que a  cada final de semana ou de ano, não tenha como pedido a garantia da vida dos nossos entes queridos.

Precisamos enfrentar o estado brasileiro e fazer nossas vidas valer a pena. Chegou a hora de resgatar os ensinamentos Black Panthers, precisamos aceitar que  o estado brasileiro não nos ver como seres humanos e portanto, temos que resgatar o ensinamento dos  que lutaram essa mesma luta. Steve Biko já dizia “ESTAMOS POR NOSSA PRÓPRIA CONTA”. A cada chacina nas periferias do Brasil, percebemos como a minimização da atuação do estado sobre as mesmas comprova esse ensinamento.

Luciane Reis, Publicitária, Ativista do Movimento Social Negro Brasileira, Yawó da Casa de Oxumaré e gosta de dar opinião no que não é chamada de vez em quando.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s