A fossa moral alemã no Chile. “Colonia Dignidad”, os remanescentes do Nazismo na América Latina.


Aqui você pode comer, dormir oudirigir nas montanhas: Villa Baviera, no Chile, onde onde era antes a Seita do Terror "Colônia Dignidad" viveu. (Foto: Reuters)

Aqui você pode comer, dormir ou dirigir nas montanhas: Villa Baviera, no Chile, onde onde viveu durante décadas a Seita do Terror “Colônia Dignidad” . (Foto: Reuters)

Assassinato em massa, abuso de crianças, a produção de gás venenoso: As ações e crimes da seita alemã Colonia Dignidad no Chile ainda não foram legalmente enfrentadas judicialmente. Agora com a reabertura das investigações, novas evidências podem vir à luz.

Por Peter Burghardt, Buenos Aires (tradução Marcos Romão) fonte SZ

O território da ex-seita terrorista da Alemanha no Chile vira Centro Turístico. Lá, você pode agora comer, dormir ou dirigir jeeps de tração nas montanhas dos Andes.

No momento investigadores descem nas profundezas da antiga Colônia Dignidade, agora chamada de “Villa Baviera”.
Recentemente, o juiz Mario Carroza visitou a vasta propriedade, localizada em um grande território junto aos Andes. Duas testemunhas o levaram a cinco pontos da “aldeia da Baviera”, onde supostamente foram enterrados os restos mortais de opositores do regime durante a ditadura militar.
Emigrantes alemães, sob a liderança do prédigo pedófilo e nazista Paul Shepherd fundaram na década de sessenta, a “colônia dignidade “, e lá construiram o enclave religioso-fascista.
O pastor morto em 2010, abusou sexualmente e atormentou não apenas maciçamente crianças, na área de sua “ilha de impunidade”. Após o golpe do general Augusto Pinochet, em 1973, vários dissidentes chilenos foram torturados e assassinados nesta “comunidade modelo” teutônica.
Novas evidências podem vir à luz
Depois de décadas de silêncio em que o juiz que cuidou da causa, Jorge Zepeda demonstrou um interesse notavelmente limitado e engavetador de provas e evidências, mesmo que os alegados crimes no “Estado dentro do Estado” fossem desde assassinatos em massa,  a tráfico de armas, produção de gás venenoso e lavagem de dinheiro.
Recentemente o promotor Carroza tomou a frente do processo, e já investigou o possível envenenamento do poeta Pablo Neruda e outros horrores. Ossos e armas já foram descobertos na região da “Colonia Dignidad”, hoje Villa Baviera.
Um programa de televisão  divulgou recentemente referências a outras localidades usadas como cemitérios clandestinos.
Com estas escavações novas evidências podem vir à luz, não só os restos mortais de desaparecidos podem aparecer, como também nomes de autores podem vir a serem esclarecidos.
Diz-se que os diligentes responsáveis pelas anotações e catalogação dos crimes cometidos, deixaram montes de fichas e cartões com detalhes de cada caso. Boa parte destes documentos foram até pouco tempo segredo de Estado chileno, sendo liberados há alguns meses.
Os documentos ilustram os contatos de Villa Baviera com o exército e os serviços de inteligência do regime de Pinochet.
Graças à constante pressão de meia dúzia de ativistas,a questão foi discutida no âmbito da visita do presidente socialista Michelle Bachelet do Chile na segunda-feira junto a chanceler alemã Angela Merkel.
O ministro das Relações Exteriores chileno Heraldo Muñoz recebeu logo após o encontro de Estado,  sobreviventes e membros da “Associação para a memória e os direitos humanos Colônia Dignidade” em seu hotel em Berlim. “Alguma coisa está acontecendo”, diz Jan Stehle, que estava presente na conversa, em que se ciscutiu sobre o vasto material encontrado sobre o caso, que há anos está sendo investigado.
A seita alemã”Colônia Dignidade” no Chile. A Colônia dos “Indignos”

villa-baviera-colonia-dignidad

Um tribunal chileno condenou 21 líderanças da seita da “Colônia Dignidade”. Os homens foram condenados por décadas de abuso infantil. O alemão Hartmut Hopp é um dos condenados. Mas ele continua a viver livre sem ser molestado na cidade de Krefeld – graças à Justiça Alemã.

Um tribunal chileno condenou 21 líderanças da seita da “Colônia Dignidade”. Os homens foram condenados por décadas de abuso infantil.
O alemão Hartmut Hopp é um dos condenados. Mas ele continua a viver livre sem ser molestado na cidade de Krefeld – graças à Justiça Alemã.

Mas alguma coisa está andando neste moroso processo contra Hartmut Hopp. O ex-médico da Colônia e pastor confidente dos seguidores, Hopp, foi condenado em 2013 no Chile por cumplicidade de estupro a cinco anos de prisão. O Centro Europeu de Direitos Humanos e Constitucionais também apresentou acusações de assassinatos e e torturas físicas.

Hopp, no entanto, fugira para a cidade de Krefeld, na Alemanha, em 2011 e até agora se beneficiou do fato de Alemanha não permitir a extradição de qualquer cidadão alemão.
Enquanto isso, no entanto, a justiça chilena exige uma execução judicial da sentença na Alemanha. O pedido está sendo analisado e considera-se com boas pespectivas de sucesso.

O que é mais estranho por parte dos alemães, é que o governo federal alemão destinou uma bizarra ajuda financeira aos remanescentes da colônia, e os apoiará para que superem o passado…

Anúncios

2 pensamentos sobre “A fossa moral alemã no Chile. “Colonia Dignidad”, os remanescentes do Nazismo na América Latina.

  1. Que a justiça seja feita! Assisti o filme Colônia que fala sobre o que aconteceu fiquei horrorizada! Está demorando muito pra fazer valer a justiça! Quanto horror nesta Colônia! Os culpados tem que pagar não importa pra onde eles fujam!… Que as pessoas que morreram ali descansem em paz!…

  2. Vim parar aqui pelo filme Colonia, que por sinal é ótimo tambem, muito bom o texto, e só tenho a lamentar sobre tudo isso que ainda nao foi totalmente resolvido, e por parte do governo alemão que meu deus… só colocou tudo pra baixo do tapete, só consigo sentir indignação, mas enfim, espero que paguem pelo oque fizeram!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s