As infelizes cotas: Prefeitura de São Pedro da Aldeia organiza concurso para professores a partir de texto preconceituoso


Tania Pacheco – fonte:Combate Racismo Ambiental
concurso“As infelizes cotas … servem magnificamente para alcançarmos este objetivo:  a  mediocrização também do ensino superior. Alunos que não conseguem raciocinar porque não lhes foi ensinado, numa educação de brincadeirinha. / E, porque não sabem ler nem escrever direito e com naturalidade, não conseguem expor em letra ou fala seu pensamento truncado e pobre. (…) / Além do mais, as bolsas por raça ou cor são altamente discriminatórias: ou teriam de ser dadas a filhos de imigrantes japoneses, alemães, italianos, que todos sofreram grandemente chegando aqui, e muitos continuam precisando de esforços inauditos para mandar um filho à universidade”.

 

O trecho acima faz parte do texto “Buscando a excelência”, escrito por Lya Luft e publicado na Veja no dia 26/09/2012. A parte e o todo poderiam ter ficado lá enterrados mas, lamentavelmente, foram ontem ressuscitados. E não foi a Veja ou qualquer outro veículo da mídia empresarial que os trouxe de volta, mas a Prefeitura de São Pedro da Aldeia, Rio de Janeiro, no concurso para professores de nível superior realizado ontem, 12 de outubro.

Se alguém pensa que ele foi proposto como uma provocação, a partir da qual esperar-se-ia que os futuros professores mostrassem sua capacidade crítica, dialogando em Português bem construído com as posições da autora, está redondamente iludido. Ele foi apresentado como texto de referência, a partir do qual candidatas e candidatos deveriam responder a dez questões de múltipla escolha. Para isso, novamente, foram escolhidas frases (algumas inclusive presentes na citação acima) que ratificavam as opiniões nele expressas, quer propostas para conferir se a pessoa havia entendido a mensagem, quer servindo como base para perguntas relativas a gramática.

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia poderá argumentar que não foi ela que organizou a prova, mas o Instituto Nacional de Concurso Público (INCP), que assim se apresenta em seu site

“prestador de serviços técnicos, especializado em Concursos Públicos, é uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos, que oferece aos órgãos governamentais, sem tercerizar [sic] nenhum serviço, uma equipe técnica, altamente qualificada e totalmente informatizada , com equipamentos modernos , na organização e total execução de Concursos Públicos e processos seletivos para o provimento dos mais variados cargos ou empregos nos níveis de ensino elementar, fundamental, médio e superior”.

Convenhamos que esse argumento é inaceitável. Primeiro, porque seria questionável escolher, para organizar uma prova de Português, uma instituição que não “terceriza” nenhum serviço. Neste caso, ela devia urgentemente fazê-lo, começando pela contratação de um revisor. Segundo, porque cabe ao gestor público, caso terceirize alguma de suas funções (e mais ainda uma da importância da contratação de professores, nos diferentes níveis), responsabilizar-se por monitorar e aprovar o que está sendo feito com o dinheiro público.

Na situação em pauta, prefiro acreditar, aliás, que isso não tenha acontecido. Seria inaceitável que uma Prefeitura buscasse contratar, para dar aulas em suas escolas para uma população que dificilmente não será majoritariamente negra, professores que concordassem com esse tipo de visão de mundo.

Esse já me parece ser, aliás, um motivo de base para a anulação do concurso. Mas há outro: sei de pelo menos uma pessoa que se sentiu pessoalmente atingida pelo texto. “Se queriam desestabilizar, conseguiram”, escreveu ela. Acho que para isso não seria necessário inclusive ser negro/a. Apenas ter a capacidade de pensar e de se indignar.

Abaixo a prova feita pelo INPC

Prova-Lya-Luft-1-640x926Prova-Lya-Luft-2-640x910INPC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s