Uma carta pra Elizabeth ” Amarildo”


por Fabiana Melo Souza

Uma carta pra Elizabeth.

Elisabeth

Elisabeth

Estou na Rocinha editando na Tv Tagarela, um dos lugares onde me sinta mais em casa e protegida. Não sei se a família do pedreiro Amarildo pensa assim. É por isso que neste 1 ano de seu assassinato eu quero escrever não sobre ele, mas sua esposa, Elizabeth.

Temo por uma tragédia presente: a condenação em vida desta mulher devido ao nosso conservadorismo vulgar.
Quais são as acusações? Uso de drogas ilícitas, some e deixa os filhos sozinhos e ainda dizem que está namorando. Mas pra mim, a verdadeira acusação é de traição.

Mas quem ou o quê Elizabeth traiu? Ela traiu o nosso conservadorismo. Ao invés de se agarrar na imagem de uma sofredora cândida, essa mulher escolhe seguir seus vícios. Eu, que também tenho os meus, sei muito bem o que é agarrar neles como alternativa à este mundo que insiste em nos encaixar em uma única forma de viver.

No mais, que viúva é essa que não tem nem o direito de velar o corpo de seu marido. Cadê? Aonde está? O que aconteceu? Se esta questão me atormenta, o que dizer de Elizabeth que além de viver em luto ainda convive com o título “a mulher do Amarildo” como uma sombra que nunca mais deixará de segui-la.

Meu pai é pedreiro e mora na Rocinha, segundo ele não tem lugar melhor, mas assim como o Amarildo podia ser meu pai, Elizabeth poderia ser eu, e hoje, certamente, eu estaria vivendo sem paz, sem conseguir tomar uma cerveja pra esquecer, vitima dos olhares acusadores da boa sociedade.

Quem condena em vida Elizabeth condena todas nós, mulheres que vivemos à espreito da próxima acusação: a de ter provocado o abuso com a roupa curta, de ter respondido o marido/irmão/pai/filho e apanhado por isso ou mesmo, de ser condenada à imoralidade por outras mulheres: quem respeita uma mulher que vive na rua bebendo, transando, vivendo …
A família de Amarildo não foi destruída pelas drogas, imoralidade ou falta de “respeito”. mas sim por seu assassinato, só que agora, muitos usam a imagem e corpo de Elizabeth pra justificarem a falta de crença no mundo. Batem no peito com orgulho e dizem “não tem jeito mesmo”, não adianta lutar.

Pra você Elizabeth, meu carinho e meu abraço. Só nos resta suportar e seguir. Como uma entidade certa vez me disse “a terra é redonda e é feita pra girar”. Aguente, espere um pouco. Seguirei com você.
Amarildo. Presente.

Anúncios

Um pensamento sobre “Uma carta pra Elizabeth ” Amarildo”

  1. “Pra você Elizabeth, meu carinho e meu abraço. Só nos resta suportar e seguir. Como uma entidade certa vez me disse “a terra é redonda e é feita pra girar”. Aguente, espere um pouco. Seguirei com você.
    Amarildo. Presente.”
    Áurea de Andrade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s