BOIPEBA PEDE SOCORRO! COVA DA ONÇA – UM DIAMANTE QUE NÃO PRECISA SER LAPIDADO.


por Kassira Bonfim

 

No dia 03/07/2014, participei de uma Audiência Pública que durou 08 (oito) horas, um dos eventos mais incríveis que já tive a oportunidade de assistir. Foi uma audiência para apresentação à comunidade do Projeto Turístico-Imobiliário Fazenda Ponta dos Castelhanos – um mega projeto imobiliário que prevê a ocupação de 20% (16.507.752,11 m²) de toda a área da ilha de Boipeba/Cairú/Bahia/Brasil – local de natureza exuberante ainda preservada; integrada por uma APA; cercada em quase toda a sua totalidade de manguezais, apicuns, restingas e Mata Atlântica; utilizada por uma comunidade de pescadores e marisqueiras e extrativista conhecida como Cova de Onça (São Sebastião) em sua subsistência; cercada ainda pelas comunidades da Velha Boipeba, São Francisco e Moreré; com influência sobre comunidade quilombola e de Barra dos Carvalhos.

BOI PEBAfoto bonfim

BOIPEBAfoto bonfim

A audiência aconteceu em Cova de Onça – comunidade composta por aproximadamente 760 pessoas, em quase sua totalidade de pescadores, marisqueiras e extrativistas; formada por um povo muito especial e diferenciado, com uma identidade coletiva ímpar, que o destaca da sociedade como um todo de maneira tal que, a cada vez que retorno de lá, sinto que saí melhor, mais forte, mais rica em espírito, em esperança na humanidade, em crença na cidadania. No último dia 03, tive vontade de não mais sair dali.

Diante de um projeto de padrões milionários ofertando à esta comunidade todas as vantagens estereotipadas do mundo capitalista, aquela população, surpreendendo a todos os presentes, teve a lucidez e sabedoria de dizer não em proteção do seu modo de vida, dos seus princípios, das suas crenças, numa demonstração da envergadura moral que eu sempre vi neles, mas que ficamos com medo de acreditar que seria capaz de fazer resistência ao poder econômico. Eles foram brilhantes! Eu não tenho como dizer em palavras o que vi. Aos presentes pareceu um momento encantado – um povo vendo com olhos de tribo os equívocos apresentados e gritando de todas as formas, com falas que vinham do mais profundo de suas almas pedindo proteção, parecendo-nos que cada um deles tinha a alma do Cacique Seattle da tribo Suquamish retratada na carta de 1855 ao presidente dos EUA.

Não foi pouco o que se assistiu, de modo que é impossível não voltar com o compromisso de buscar reforços àquele grito de socorro, porque sei que, a partir daquele momento, a paz deles estará fortemente comprometida pelas pressões que sofrerão do poder econômico e dos interesses políticos. O fato é que o projeto como está confina e condena à extinção a comunidade de Cova da Onça, ela percebeu isso e entendeu o relatório do projeto – apresentado por uma enorme equipe de técnicos e colorido de promessas de empregos e riquezas -, como algo ruim, indesejável, inviável e agressor.

E, para se proteger, com os seus conhecimentos transmitidos de pais para filhos e pela experiência, sem nenhum conhecimento de legislação ambiental, deixando qualquer engenheiro ambiental abismado, revelando a sua sabedoria ancestral, apontou inúmeros equívocos graves do projeto relacionados a agressões ao meio ambiente e às consequências sobre a pesca, a mariscagem, o extrativismo, o mar, cardumes, redes, embarcações, etc. Ficaram até o final, sem almoçar, sem sair do ambiente da audiência para nada, ouvindo os mínimos detalhes e rebatendo às justificativas apresentadas por uma equipe técnica de mais de 30 técnicos contratados pelo empreendedor para elaborar o projeto. Ao final, muitas questões sem respostas ou com respostas insatisfatórias, um projeto cheio de pontos sem clareza dando margem a todo tipo de ajuste na fase de implementação, sem preservação das áreas de apicuns, prevendo corte de área de mangue de 100 metros, loteando e cercando manguezais e áreas indispensáveis à sobrevivência da comunidade, sem delimitação dos caminhos de circulação da população há séculos, sem solução para o acréscimo do incremento de quase 260% de lixo e para os diversos impactos ambientais que ele mesmo aponta, prevendo um mínimo de 152 lanchas circulando por áreas de mergulho dos pescadores e danosas à pesca, três piers, imensa área de campo de golf, gerando na grande maioria uma insegurança enorme no que se refere às garantias de preservação e prevenção de impactos ao meio ambiente.

Fora dito naquela oportunidade que a ilha de Boipeba foi eleita a terceira mais linda do mundo, estamos falando de Mata Atlântica, manguezais, fauna e flora que a todos pertencem, e de uma das APAs (Área de Proteção Ambiental) mais importantes do país. Toda essa riqueza não só pertence ao pescadores e marisqueiras de Cova da Onça e São Francisco, ao povo de Moreré, Velha Boipeba e Barra de Carvalho, mas a toda à humanidade. Por isso, esse texto pretende informar à maior quantidade de pessoas possíveis o que está acontecendo para que juntos possamos garantir que nenhuma etapa e estudo seja atropelada(o) e/ou desvirtuada(o) no Procedimento de Licença Prévia do referido projeto em trâmite no INEMA/Bahia, em Processo sob o nº 2001-015414/TEC/LL/0046.

Aos meus anjos, guias e protetores, eu peço que ajude na conscientização do empreendedor para que, ao contrário de travar com estas comunidades e com a natureza uma luta desproporcional e prejudicial a todos, reescreva o projeto e redirecione o seu público alvo consumidor buscando pessoas que possam pagar um preço de um bem valorizado pela preservação da humanidade, cultura e da natureza exuberante que há ali. Se assim não for, Estado APAREÇA!

Nota da Mamapress

Em postagem no Facebook sob o pedido de SOS da Cova da Onça, o jornalista Marconi De Souza Reis nos traz um pequeno relato dos antecedentes das grilagens que que anunciavam este tipo de empreendimento.

“Há exatos 10 anos (julho de 2004), eu escrevi uma série de reportagens denunciando o posseiro Aécio Palma Batista, que, com a ajuda da sua esposa, a juíza Maria do Socorro Palma Batista, grilou quase todas as terras da Ilha de Boi Peba nos anos 80 e 90. Eles me processaram e eu ganhei as ações. Acontece que a grilagem, Kassira Miranda Bonfim, foi tão bem arquitetada pelo cara, que ele só perdeu parte da ilha. Enfim, essa invasão imobiliária já era esperada. Um detalhe: Aécio agora é advogado, mas a juíza o deixou. O cara é o maior estelionatário que já denunciei nessa vida. Só para se ter uma ideia, aos 15 anos de idade, com uma simples vela, ele envelheceu um papel para escrever a escritura da casa dos pais em Pernambués. Essa e outras histórias sobre essa figura estão na série de reportagens.”

Anúncios

28 pensamentos sobre “BOIPEBA PEDE SOCORRO! COVA DA ONÇA – UM DIAMANTE QUE NÃO PRECISA SER LAPIDADO.

  1. MEU DEUS
    FREQUENTAMOS BOI PEBA A 12 ANOS
    DESSA ULTIMA VEZ SENTIMOS MUITA DIFERENÇA
    VOLTAMOS MAIS PREOCUPADOS DO QUE DAS OUTRAS VEZES
    SE PERMITIREM, SERÁ MAIS UMA VERGONHA, MAIS UM DESRESPEITO LEGALIZADO
    NAO ESPEREM MUITO DO INEMA, ESTOU FALANDO SÉRIO, PRECISA SER DE CONHECIMENTO POPULAR, PRA QUE HAJA PRESSÃO MAIOR, ASSIM ESTAREMOS AJUDANDO…

  2. Isso mesmo. Não temos que dar margens à esses capitalistas que só querem tirar vantagens sobre as classes trabalhadoras do baixo-sul que lutam pela sua sobrevivência em paz, que querem saúde e uma vida sustentável.

  3. Po galera muito massa esse textos, todas essas denúncias. Nunca iriamos saber se vcs não colocassem a boca no trombone. A galera aqui de Eunápolis apoia a idéias de revolução contra esse sistema escroto que visa só o lucro em contrapartida destroi socialmente, culturalmente e ambientamente! Uma SALVE! DA tribo daqui pra essa daí!

  4. BOA!!!! Adorei sua atitude!!
    Qd for lá de novo me avise!
    Fui criada em Boipeba, me sinto de lá!!!
    Já assinei a petição e pedi pra todo mundo assinar.
    ABSURDO E FALTA DE RESPEITO TOTAL !!!

  5. Temos que brigas para que estes animais não destruam a natureza o impacto ambiental de um projeto deste tipo e enorme, não podemos deixar isto acontecer….

  6. Alguém sabe como fazer download do estudo ambiental (EIA/RIMA) desse projeto? Se esse empreendimento estiver localizado em Área de Preservação Permanente (APP), e provavelmente esta, eh proibido esse tipo de construção, conforme o Código Florestal (Lei Federal).

    • Cláudia H. O projeto pode ser lido neste link: file:///C:/Users/RH/Downloads/Fazenda_Ponta_dos_Castelhanos%20(1).pdf

      Acredito que a maioria tem dado muitas opiniões, sem ao menos ler o projeto.

  7. QUANTO À NOTA, ESCLAREÇO:
    O SR, MARCONE, APROVEITANDO-SE DO FATO DE TRABALHAR NUM JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NA BAHIA, PATROCINADO POR UMA SOCIOPATA, SEM NOS OUVIR, PUBLICOU UMA SERIE DE REPORTAGENS CALUNIOSAS E DIFAMATÓRIAS CONTRA MIM E MINHA FAMILIA, NATIVA DO BAIXO SUL, RESSALVE-SE.
    ESSAS REPORTAGENS DERAM ENSEJO A AÇÕES CÍVEIS CONTRA O JORNAL, QUE ME INDENIZOU PELOS DANOS MORAIS QUE SOFREMOS, AS AÇÕES CRIMINAIS PATROCINADAS CONTRA ESSE CRIMINOSO MARCONE, POR TER ELE PROCRASTINADO O CURSO DOS PROCESSOS, ESCONDENDO-SE PARA NÃO SER CITADO NEM INTIMADO, CULMINOU POR SEREM ATINGIDAS PELA PRESCRIÇÃO..OU SEJA ELE NÃO GANHOU AÇÃO NENHUMA!… ASSINALO, AINDA , QUE, SÓ NA BAHIA, ELE RESPONDEU MAIS DE 35.PROCESSOS CRIMINAIS…E NENHUM JORNAL O CONTRATA MAIS….

  8. Parabéns para a comunidade de Cova da Onça! Mostraram que o dinheiro não compra princípios! E parabéns para a Mamapress por ter vestido a camisa da comunidade! Todos vocês têm todo meu apoio! E saibam: se a comunidade não aceita, em peso, então fim de papo! Salve Boipeba!

  9. Estou orgulhosa dos moradores que disseram nao a especulacao, que tiveram integridade de nao serem corrompidos por empreendedores irresponsaveis e sem principios. Parabens!!!

  10. Não preciso ler o projeto para saber que é um absurdo realizar empreendimento imobiliário em um lugar como Cova da Onça.
    Sou professora de História e me coloco à disposição para colaborar na luta pela preservação dessa comunidade.

  11. Parabéns ao povo de Boi Peba pela coragem ao dizer NÃO para a especulação imobiliária, e para esses capitalistas que só visam o lucro em detrimento da destruição da natureza. Baixo sul lugar de beleza exuberante.

  12. Todo apoio a luta de vocês!
    Integro o Movimento Abrace a Garça que luta contra a especulação aqui em Maceió/AL, vivemos em uma antiga comunidade de pescadores, já muito descaracterizada social e ambientalmente.
    Desejo que Boipeba tenha melhor sorte e muita força para continuar resistindo!
    Abraço da Garça.

  13. É um absurdo. Não podemos permitir. Alguém que tem acesso aos meios de comunicação, ajude a tornar público. Alguém que tem acesso ao Ministério Público Federal, vamos pedir ajuda. Eles são sérios e não vão se corromper. Estão passando o país a limpo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s