Racismo é obvio na prisão de ator/formando de psicologia/trabalhador negro confundido com assaltante


É Juarez, eu nunca ouvi falar de que uma vítima relata que um branco a assaltou e um policial pega o primeiro branco que vê e o enquadra!
Aos apressadinhos que querem condenar a testemunha que teria acusado ao jovem Vinícius Romão:
Um detetive de folga rodando com seus carro por ruas vazias, acode a uma vítima em desespero por ter perdido suas únicas posses, 10 reais e um cartão único.
Enfia a mulher no carro e sai em diligências como verdadeiro “justiceiro” em seu carro particular.
Ao encontrar o primeiro negro pergunta, foi este?
Com ajuda da PM o leva para uma delegacia que não é da área e enquadra o cara sem mais diligências ou investigações.
O delegado assume o jogo e também não ouve o Vinícius e o prende em flagrante.
Tem gente que aparece dizendo para processar a testemunha vítima que foi vítima duas vezes de um assalto e de indução para dizer alguma coisa a um policial?
Durma-se com uma polícia destas.
Com a divulgação do caso o delegado da 25ª viu que com a sua imperícia profissional, começou a destruir sua carreira, se é que tem. Simples, né?
Vão arranjar todo tipo de desculpa, menos confessarem que foram maus e preconceituosos profissionais.

Blog do Juarez

O ator Vinícius Romão O ator Vinícius Romão

Vinícius Romão de Souza, que atuou na novela “Lado a lado” da Globo, tem 27 anos, está aguardando a colação de grau em Psicologia e trabalha em um Shopping no Rio de Janeiro, e é filho de um Tenente-Coronel  reformado do Exército…, ou seja, tem um “ÓBVIO” perfil de assaltante CERTO ?, foi preso enquanto caminhava tranquilamente pela rua, minutos após ter deixado o trabalho, acusado de roubar a bolsa de uma mulher que também saia do trabalho em um hospital…, a descrição do assaltante “batia” parcialmente com a dada pela vítima, um homem negro, magro, alto de cabelo black power e bermuda preta… (sendo que ele vestia uma calça jeans e camiseta preta), abordado por policiais teria sido “reconhecido” pela vítima (psicologicamente abalada pelo ato e aos prantos) e preso sem os pertences da vítima, na delegacia teria sido novamente “reconhecido” pela vítima (com o…

Ver o post original 739 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s