Identificado autor oferta de negros-com-diversas-utilidades para a venda na página Mercado Livre


por marcos romão

A postagem no último final de semana no site Mercado Livre que colocava ao lado de fotos jovens negras e negros à venda na página “Mercado Livre”, gerou uma grande revolta nas redes sociais e foi denunciada na madrugada do dia 6.01, aqui na Mamapress com dados e exigências para que a polícia retirasse a página do ar, já que mesmo com as reclamações dos usuários da página, a administração do “Mercado Livre” não tomara providências para encerrar o anúncio. O anúncio que terminou conforme anunciara autor, ao longo do dia 6.01,  foi realizado de forma automática  e nada tem a ver com medidas da administração da página, que até então se limitara a apagar várias reclamações dos usuários.

Segundo a Folha de São Paulo, após denúncia, a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, do governo federal, e o site conseguiram identificar o autor da publicação.negros com mil e uma utilidades 06

Em nota a SEPPIR informa que o autor pode ter como pena de dois a cinco anos de prisão, além de multa, para quem praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

Ainda segundo a nota da SEPPIR publicada na Folha:

“É inconcebível e inaceitável a tentativa de desumanização da população negra, enquadrando seus indivíduos como mercadoria e remetendo os mesmos de volta à escravidão”, diz Carlos Alberto de Souza e Silva Junior, ouvidor da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

Segundo a secretaria, não haverá punições ao Mercado Livre. Em nota, o site de vendas afirmou que repudia o anúncio. “O Mercado Livre informa que entregou, após notificação oficial, os dados cadastrais e de acesso do usuário anunciante às autoridades competentes para que o autor seja investigado. O anúncio foi retirado do ar na segunda-feira, dia 6, assim que denunciado pelos próprios usuários do site”, diz o site.

A Mamapress parabeniza a ação rápida da Ouvidoria da SEPPIR e alerta para que na pressa, não se isente a página Mercado Livre de toda a culpa. Que a página faça um pedido de desculpas públicas em seu sítio principal  e crie mecanismos para que  usuário possa denunciar de pronto anúncios discriminatórios de quaisquer matizes. Seria uma punição mínima, por ter relaxado de forma continuada nas suas obrigações com o consumidor, pois o anúncio só foi retirado do ar na data em que o próprio anunciante racista marcara.

Por triste ironia ao acessar o link da página original encontramos os arquivo ou direcionamentos, já sem o anúncio no final, mas que me causa espécie ao ler http://lista.mercadolivre.com.br/negros-com-diversas-utilidades, é claro que estão anunciando produtos de cores pretas, revela entretanto um mau gosto profundo por parte dos administradores e donos da página Mercado Livre, em relação a um um assunto que gerou tantos protestos. Seria uma falha de construção linguística típica de  paginador, ou seria um chamariz  para atrair  racistas de plantão , ávidos por plataformas para difundirem suas ideologias?

Aliás a Mamapress considera que a página Mercado Livre para manter a sua fama e não se confundir com racistas, já deveria ter tomados a medidas antirracistas e anti-discriminatórias necessárias, sem a necessidade de protestos dos usuários, da SEPPIR e da sociedade civil. Seria um posicionamento no mínimo gentil para com todos nós.

negro-com-diversas-utilidad

Anúncios

5 pensamentos sobre “Identificado autor oferta de negros-com-diversas-utilidades para a venda na página Mercado Livre

  1. Não é caso de parabenizar a SEPPIR porque sempre foi esta a sua obrigação, assim como a nossa de denunciar, prontamente este tipo de violação da lei. Espera-se que mesmo que estes atos sejam identificados e bloqueados pelo site, o seu simples bloqueio não livre os autores do rigor das punições previstas em lei.

  2. Pingback: Identificado autor oferta de negros-com-diversas-utilidades para a venda na página Mercado Livre | EVS NOTÍCIAS.

  3. Pingback: Início do futuro | Mamapress

  4. o link do mercado livre é um link dinâmico, ou seja, ele é criado conforme a pesquisa.
    Tudo que é escrito depois da barra é colocado como elemento de pesquisa
    exemplo: http://lista.mercadolivre.com.br/bolos-com-muitas-benfeitorias
    Você mesmo pode fazer seu link, basta escrever qualquer coisa depois da barra
    http://lista.mercadolivre.com.br/nao-sabe-do-que-esta-falando

    Um minimo conhecimento de informatica é interessante antes de fazer um post desses, nao?

    http://lista.mercadolivre.com.br/nao-sabe-do-que-esta-falando

    • Você veja caro João. O tratar o dinamismo de seus links sem filtros ou códigos, é o buraco da página do Mercado Livre que estimula os piadistas de plantão. É livre com todo o direito, e isto é uma liberdade que isso aumenta a responsabilidade do criador e respondável pela página “Mercado Livre”.
      Páginas como Facebook ou Ebay, como tem bons advogados e não são administrados em países-terra-de-mãe-joana, se cuidam pois já levaram processos milionários de usuários que se sentiram ofendidos nos EUA ou Europa.
      Veja o dinamismo “livre” do Facebook em que o autor do link é identificado, é o que vem depois em código, é de responsabilidade do autor https://www.facebook.com/MercadoLivre?fref=ts.
      Mas mesmo sem identificar o Mercado Livre, está sendo irresponsável ao não controlar e filtrar ações racistas e discriminatórias em suas páginas. Os famosos botões de controle e denuncia oferecidas ao usuário, que a assessoria do Mercado Livre está apregoando na imprensa, não faz nenhuma à proibição de conteúdos geradores de ódio. Onde reclamar contra tanto “dinamismo” racista, se a página estava até agora se lixando para este tema?
      Tratamos aqui nesta página entre outras coisas de responsabilidades civis e constitucionais. E a lebre levantada pela Mamapress, é para ser resolvida e explicada pela Mercado Livre à justiça, através da polícia federal que tem os técnicos em controle e filtros que talvez possam orientar os programadores da PP Mercado Livre, a não darem mole para os racistas. Por isso não vimos necessidade de nos estendermos nos detalhes técnicos do dinamismo da feitura dos link.
      Apesar de eu pessoalmente ser um especialista no assunto, não tenho estes temas “internet&software”, como os que privilegio ao escrever para o público da Mamapress. Mas caso você seja um antirracista, lhe ofereço João Almeida Castro, nossas páginas para que você escreva para nossos leitores, como se protegerem deste “dinamismo racista”, enquanto as páginas e os provedores não assumem elas mesmas as suas responsabilidades constitucionais, de não permitirem o racismo nas páginas que hospedam e divulgam.
      Atenciosamente
      Marcos Romão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s