LÍDER COMUNITÁRIA, ACUSA PETROBRÁS DE EXPULSAR QUILOMBOLAS BAIANOS


07.08.2011 Editora Felline, Carlos Nobre

Carlos Nobre

Nosso correspondente do RJ esteve presente no IV EncontroNacional do Quilombolas, que aconteceu de 3 a 6 de agosto recente na UERJ do Rio. Lá ele pode assistir ao depoimento da líder comunitária da Ilha de Maré, em Salvador que publicamos a seguir;

PETROBRÁS ACUSADA DE EXPULSAR  QUILOMBOLAS BAIANOS

Carlos Nobre

A líder comunitária Eliete Paraguassu, durante o  4º. Encontro Nacional de Comunidades  de Quilombos – ocorrido, agora,  quinta e sexta passados- , na Universidade do estado do Rio de Janeiro (UERJ), disse que a Petrobrás está matando os quilombolas da Ilha de Maré, de Salvador, através de constantes vazamentos óleo, cádmio, ferro e outros metais pesados, que são despejados nos rios da região pela Refinaria Landulpho Alves (da empresa), que está em processo de expansão estimado em R$ 3.5 bilhões. A empresa contribui em quase R$ 1 bilhão anual de impostos para Bahia e gerou 8 mil empregos com as obras de modernização da refinaria.

Ilha de Maré- Comunidade de Bananeiras-foto blojcmeioambiente.wordpress.com foto Leonardo Rattes

A denúncia de Eliete ocorreu em resposta a fala da representante da Petrobrás no encontro, Wania Santana, ex- militante de movimentos femininos afro no Rio,  que elogiou a empresa por estar  patrocinando o encontro de quilombolas.

Eliete, no entanto, explicou que a Ilha da Maré, em Salvador,  está em situação dramática com a poluição de suas nascentes pela empresa. ” Toda nossa cadeia alimentar está comprometida por causa dos constantes danos ambientais provocados pelo Petrobrás”, argumentou a líder quilombola ao microfone, durante os debates.

Segundo a líder quilombola, peixes e mariscos como sururus, caranguejos e siris estão com alto índice de contaminação por metais pesados e são considerados impróprios para o consumo e comercialização. Mas a população os têm consumido e ficado doente.

A fala de Eliete obteve solidariedade de outros congressistas que aproveitaram a oportunidade para denunciar pressões da empresa em seus territórios quando estes são alvos de projetos de ferrovias, rodovias ou de prospecção de petróleo. Ao contrário do que propala, a Petrobrás tem usado métodos extorsivos para expulsar quilombolas de suas terras, segundo Eliete.

EXPULSÃO DE QUILOMBOLAS

Ela disse que, nos territórios quilombolas baianos, quando a empresa descobre que há petróleo, a Petrobrás começa um processo de expulsão dos quilombolas com pressões para que estas tenham terras indenizadas por valores irrisórios. Segundo ela, a ação da Petrobrás, nos territórios quilombolas é igual as dos ruralistas que insistem em impedir as demarcações e titulações dos territórios negros.

” A secretaria estadual de Igualdade Racial ouve nossas queixas, mas não pode fazer nada. Não tem condições de nos ajudar. O governo estadual é muito amigo da Petrobras, é um link deles no governo. Então, não temos a quem recorrer. O deputado federal  Luiz Alberto (PT-BA) vai aos nosso atos, mas está com as mãos atadas” – relatou Eliete.

Em 17 de abril de 2009, um vazamento de óleo de extensão de 2.5 Km da Refinaria Landulpho Alves contaminou a praia do Caípe, no município São Francisco do Conde, sede da empresa. O vazamento provocou o surgimento de 15 toneladas de peixes e mariscos mortos e contaminou praias, mangues e rios.

A recuperação da região foi estimada em cinco anos. Em ação judicial, os 6.6 mil  pescadores conseguiram vencer a Petrobrás no STJ (Superior Tribunal de Justiça) e estão recebendo salários de R$ 500 cada, fornecidos pela Petrobrás, pelos danos causados ao meio ambiente a Baía de Todos os Santos.

A Ilha de Maré, por seu turno, que vive do pescado e da agricultura familiar, apresenta crianças contaminadas por metais pesados como chumbo, cádmio, mercúrio, segundo o estudo ” A saúde ambiental em Ilha de Maré, Salvador-BA: cenários e propostas de remediação“, de Neuza Miranda, da Escola de Nutrição da Universidade Federal da Bahia(UFBA).

De acordo com o estudo, a população da Ilha já incorporou em seu organismo os metais pesados por meio da cadeia alimentar, ou seja, mesmos impróprios para consumo, a população da Ilha tem se alimentado de peixes, siris,  sururus e caranguejos com alto índice de metais nocivos à saúde.

Eliete garantiu que não temeu ao fazer a denúncia na plenária do 4º. Encontro Nacional de Comunidades Quilombolas apesar de este evento ter sido patrocinado pela Petrobrás. ” Não posso abdicar de meu papel de militante, vim aqui representando toda a nossa comunidade que está doente ou morrendo por causa da contaminação de nossos rios”, argumentou ela.

A representante da Petrobrás no encontro, Wania Santana, disse que a Petrobrás tem os mesmos problemas com pescadores da Baia de Guanabara que também tiveram trechos de rios onde pescam contaminados por vazamentos de óleo da empresa. Mas ressalvou que Petrobrás vem investindo nas comunidades quilombolas, o que irritou muitos presentes no auditório. Ela, então, encerrou a sua fala e saiu apressadamente do auditório onde estava sendo realizada a conferência quilombola.

(NR)Em pesquisa conduzida pela professora da Escola de Nutrição da UFBA (Universidade Federal da Bahia), Neuza Miranda, que tem como tema A Saúde Ambiental em Ilha de Maré, Salvador-BA: Cenário e Propostas de Remediação.
O estudo, realizado em dez povoados de Ilha de Maré, pertencente ao município de Salvador, e situada na região nordeste da BTS, pesquisou as relações entre a exposição à contaminação ambiental com a dieta de famílias de pescadores e marisqueiras da região. Dados que confirmam as denúcias de Eliete podem ser lidos diretamente no blog elaborado pelos alunos do curso de jornalismo científico da UFBA. Saibam mais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s